(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Outra Vez


Hoje eu acordei com uma tremenda nostalgia. Fiquei deitado na minha cama, relembrando tudo que me aconteceu de bom e de ruim...

Relembrei todos os meus planos, todos os meus sonhos, todos o meus objetivos e também todas as minhas realizações.

Devido à todos esses pensamentos, não pude deixar passar uma das pessoas mais especiais; que eu amei, que eu me entreguei, que eu sofri, que eu ri.

Enfim, tem uma letra de uma música que me deixa completamente down, melancólico, pensativo,me deixa, digamos, SAUDOSISTA, mas que combina direitinho com esse tal relacionamento. A música está no passado, já o meu affer, não sei informar como esta... tem hora que está totalmente no presente, tem hora que está no passado e tem hora que se encontra em um futuro muito distante. Não sei dizer também se acabou ou se começou agora. Isso só o grande sábio [o tempo], poderá dizer.

A música é Outra Vez, que fez um grande sucesso na voz do Rei Roberto Carlos...


Você foi o maior dos meus casos
De todos os abraços
O que eu nunca esqueci
Você foi, dos amores que eu tive
O mais complicado e o mais simples pra mim
Você foi o melhor dos meus erros
A mais estranha história
Que alguém já escreveu
E é por essas e outras
Que a minha saudade faz lembrar
De tudo outra vez...

Você foi
A mentira sincera
Brincadeira mais séria que me aconteceu
Você foi
O caso mais antigo
O amor mais amigo que me apareceu
Das lembranças que eu trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto de mim
Outra vez

Esqueci de tentar te esquecer
Resolvi te querer por querer
Decidi te lembrar quantas vezes eu tenha vontade
Sem nada perder

Você foi
Toda a felicidade
Você foi a maldade que só me fez bem
Você foi
O melhor dos meus planos
E o maior dos enganos que eu pude fazer

Das lembranças que eu trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto de mim
Outra vez.


terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Não sei mais nada

“Nem mesmo eu sei qual é a parte da tua estrada no meu caminho. Será um atalho ou um desvio? Um rio raso, um passo em falso?... De nós dois não sei mais nada.”



Estou tão desnorteado, que não sei nem como começo a escrever. Não sei nem o que escrever. Milhões de coisas passam pela minha cabeça, é um turbilhão de pensamentos que não ajudam em nada, só fazem me confundir mais e mais e mais...
Ninguém tem noção de como o meu coração se comportou hoje durante o dia todo. Na esperança de falar com aquela pessoa, por quem ele bate descompassadamente. Era um misto de ansiedade com prazer e emoção, que há muito ele não sentia. Tudo isso se transformou em raiva misturado com decepção e tristeza. De repente você percebe que a pessoa que mais ama, que tem um contato esporadicamente, não está nem aí pra você. Que jamais larga o que esta fazendo pra te dar um pouco de atenção, um pouco de carinho.
Confesso que não esperava uma atitude dessa ou talvez esperava. Por mais que eu soubesse que isso não seria a primeira vez que aconteceria, a tristeza sempre insiste em entrar, em se fazer presente na hora em que eu menos preciso dela. Não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça, e eu não estou fazendo uma tempestade em copo d’água, nem tampouco um bicho de sete cabeças, ou como queira chamar. Estou apenas transmitindo palavras que o meu coração insiste em gritar.
Enfim, estou perdido, sem rumo, sem direção. O que faço pra te ter aqui, bem perto de mim? Como faço pra entrar neste coração tão fechado? Um coração tão arredio devido aos sofrimentos da vida. Do fundo da minha alma, espero um dia ganhar a tua atenção, os teus carinhos, os teus abraços...
Como disse a princípio, estou tão confuso que não sei nem o que escrever. Tudo o que coloquei aqui, foi um apelo de um coração carente e apaixonado...



P.S.: ESVTA

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Feliz Aniversário...

"Eu queria ser poeta, conhecer o ofício de recolher palavras, realizar a proeza de desvendar os silêncios, e descobrir o que o outro fala, mesmo quando ele não diz. Eu queria ser amigo dos versos, possuir as asas que a inspiração pertencem, e alcançar a palavra que possa ser a tradução do amor que sinto por você. Mas do poeta eu só possuo os óculos. Óculos são instrumentos que ampliam a visão, o amor também. E já que não sou poeta, o amor é o que me resta. Desde quando a vida me permitiu conhecer você, tenho experimentado a beleza do significado da amizade. Quando nossos caminhos se encontraram, foi amizade à primeira vista.
Depois daquele encontro, meu mundo ficou mais bonito. Sua presença quando os dias eram difíceis, quando pensei que a felicidade era coisa de outro mundo. Sua palavra me convenceu de que eu deveria continuar. Suas alegrias despertando minhas alegrias. Suas risadas me fazendo rir também. Nossas madrugadas de conversas, vida dividida nas pequenas coisas. Costura do tempo nos aproximando sempre mais. Mas quando surgiram nossas diferenças, quando descobrimos nossos maiores defeitos, manifestações de protesto, crises nervosas, discursos desaforados, a promessa de que eu iria embora definitivamente de sua vida, e de que nunca mais voltaria a pronunciar seu nome.
Mas depois a saudade, a ausência mensurada, o arrependimento, o pedido de perdão, e o aprendizado de que quanto mais a gente ama, muito mais a gente precisa perdoar. O amor é o motivo do perdão, e o perdão é a continuidade do amor. Obrigado por ter me ajudado a entender isso. ‘Estar ao seu lado’ é sempre motivo de festa. Quando estamos juntos, a vida ganha um significado diferente. Extraímos felicidade das coisas mais simples, e multiplicamos a graça de cada instante. Eu não sei dizer quem eu sou sem que me recorde de você. Se da minha vida eu sou o sujeito, você é um adjetivo. Você me empresta qualidade, você me devolve quando sou roubado, você me encontra quando estou perdido.
Pode ser que um dia a gente venha a se perder nas distâncias deste mundo [será que já estamos perdidos?]. Pode ser que um dia a gente se separe [se é que já não estamos separados]. Nem sempre a vida respeita o que a gente quer. Mas uma coisa é certa, se pela força da distância você se ausentar, pelo poder que há na saudade você há de voltar. Mesmo que o tempo passe, você fique velhinho... Mesmo que você perca toda sua utilidade, dentro de mim você continuará tendo significado. E haverá sempre um lugar reservado em minha casa para você chegar quando quiser. Eu não gostaria que a morte nos alcançasse sem antes poder lhe dizer que nas miudezas dos meus dias que passam, você é um grande acontecimento que permanece. Amar é um recurso humano que nos faz eternos, recolhe e resguarda e não deixa morrer. Retira da mira do tempo, e aconchega a pessoa amada na certeza: Você não vai passar
Hoje neste dia tão especial tanto pra você quanto pra mim, neste dia em que a vida me deu permissão para te escrever, neste instante em que seus olhos se ocupam das palavras que meu coração resolveu improvisar, eu gostaria de lhe agradecer pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que sou. Pela sua capacidade de me olhar devagar, já que nesta vida muita gente já me olhou depressa demais. Eu que nem sempre soube acertar, aprendi com você que arrependimento é bem melhor que culpa. Obrigado por você não ter desistido de mim. Obrigado pelo seu dom de multiplicar o que sou e o que posso...Eu, que na solidão dos meus dias sou tentado a pensar pequeno, quando lhe encontro, sou sempre surpreendido com seu poder de me fazer ver o mundo com as mesmas lentes dos poetas. Obrigado hoje e sempre... O que nos torna amigos é a capacidade de sermos muitos, mesmo quando somos dois.
Um Feliz Aniversário meu Amor, e muitas felicidades”.


P.S.: ESVTA

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

O poder dos Palavrões

Inauguro esse blog com esse texto maravilhoso sobre os palavrões. Isso explica porque o ser humano gosta tanto de pronunciar palavrões...O texto mostra quão bem-estar essas palavras nos proporcionam.
"Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos.
“Pra caralho”, por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que “Pra caralho”? “Pra caralho” tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas pra caralho, o Sol é quente pra caralho, o universo é antigo pra caralho, eu gosto de cerveja pra caralho, entende?
No gênero do “Pra caralho”, mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso “Nem fodendo!”. O “Não, não e não!” e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade “Não, absolutamente não! “ o substituem. O “Nem fodendo” é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo “Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!”. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.
Por sua vez, o “porra nenhuma!” atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a bravata daquele chefe idiota senão com um “é PhD porra nenhuma!”, ou “ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma!”. O “porra nenhuma” como vocês podem ver,nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha.
Pense na sonoridade de um “Puta-que-pariu!”, ou seu correlato “Puta-que-o- pariu!”, falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba. Diante de uma notícia irritante qualquer um “puta-que-o-pariu!” dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.
E o que dizer de nosso famoso “vai tomar no cú!”? E sua maravilhosa e reforçadora derivação “vai tomar no olho do seu cú!”.Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando,passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: “Chega! Vai tomar no olho do seu cú!”. Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima.Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face,olhar firme,cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: “Fodeu!”. E sua derivação mais avassaladora ainda: “Fodeu de vez!”. Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? “Fodeu de vez!”.
Sem contar que o nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de “foda-se!” que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do “foda- se!”? O “foda-se!” aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. “Não quer sair comigo? Então foda-se!”. “Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!”. O direito ao “foda-se!” deveria estar assegurado na Constituição Federal. Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!. Grosseiro, mas profundo.Pois se a língua é viva, inculta, bela e mal-criada, nem o Prof. Pasquale explicaria melhor. Nem fodendo."
Autor: Pedro Ivo