(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Que venha 2010!


"Adeus ano velho. Feliz Ano Novo. Que tudo se realize no ano que vai chegar..."

Ainda não consigo entender o porque do tempo passar tão depressa.
Parece que foi ontem que eu re-conheci o meu Amigo-Anjo, na verdade hoje esta fazendo exatamente 1 ano... Como foi bom ter a certeza que Deus está comigo em todos os momentos. A força que ele me deu para superar os obstáculos e subir mais um degrau dos níveis, jamais esquecerei. O segredo para você se elevar espiritualmente é CONFIAR EM DEUS. ACREDITAR QUE TUDO O QUE ESTÁ TE ACONTECENDO É PARA O SEU BEM, PARA O SEU MELHOR. Foi o que eu fiz, com a ajuda do meu Anjo, claro.

Mais um ano que se vai, e outro que bate à porta. É a hora de relembrar tudo o que foi vivido em 2009... Aprender com os erros, se orgulhar dos acertos. Saber se estou indo no caminho certo, atrás dos meus sonhos, dos meus objetivos. Saber o que posso ou devo mudar para alcançar a felicidade.
Não vou dizer que 2009 foi um dos melhores anos, também não foi um dos piores, mas foi o ano dos aprendizados. Eu aprendi muito, evoluí o mesmo tanto, amadureci até demais.
Já comecei o ano levando uma rasteira da vida, mas fui amparado pelas mãos de Deus e do meu Anjo. O ano mal começava e eu já tinha amadurecido uns 10 anos... Logo em seguida foi só alegria e a certeza de uma vida melhor no futuro.
É bem verdade que no campo sentimental, 2009 não foi nada bom. Só alarmes falsos... Não quero nem me animar pra não criar ilusão. Mas que esse ano promete no amor, promete. rsrsrs No campo profissional, puxa vida, foi sensacional. Experiências novas, promessas para projetos futuros e tudo mais. rsrs

2010, vai ser o ano da mudança. Eu tenho essa certeza comigo. Ainda não está claro que tipo de mudança, afinal de contas tudo nessa vida é passageiro, tudo está passível de mudanças.
Que venha 2010. Estou preparado, estou quente, estou fervendo... ACREDITAR E CONFIAR são as palavras-chave para esse novo ano que chega.
Termino esse post com um trecho da música do Lulu Santos:

"Hoje o tempo voa amor. Escorre pelas mãos. Mesmo sem se sentir. Não há tempo Que volte amor. Vamos viver tudo Que há pra viver.
Vamos nos permitir..."


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Natal!!


Mais um natal chegou. Época de confraternização, de união, de dizer ao outro "Eu te amo". Momento de harmonizar o lugar em que vive. Momento de sonhar.
Tudo mudou. O tempo passou, depressa demais. Mas continuo aqui, com os mesmos desejos, os mesmos objetivos... Não que eu não tenha alcançado algum esse ano. Claro que alcancei, mais do que esperava inclusive. Só que há outros desejos, outras vontades que ainda não chegou a hora de se concretizarem. Mas vamos seguindo em frente, esperando a hora...
Natal sempre foi uma época triste pra mim. Era o momento em que eu pegava aquela lista de metas e percebia que não tinha cumprido nem 50%. Mas esse ano foi tudo muito diferente. Os dias passaram tão rápido que quando menos esperei, vi que faltavam menos de dez dias para fechar o ciclo de 2009 e começar outro ano, outro ciclo. Então foi a partir daí que peguei aquela velha lista de metas e vi que quase tudo tinha sido alcançado. Coisas que eu nem esperava acontecer, outras que eu esperava ansiosamente.

Esse ano eu cresci mais um pouco, me tornei um adulto.
Um adulto cheio de esperança, com sede de viver, de amar... Cheio de responsabilidades, e correndo contra o tempo para ser um profissional bem sucedido e um homem digno da felicidade.
Em 2009 fiz novos amigos, estreitei laços fortes com os veteranos. Aprendi o valor da amizade...
Derramei muitas lágrimas. Enxuguei outras tantas. Beijei novas bocas, mas ainda não beijei aquela que vai fazer meu coração acelerar, minhas pernas tremerem, meu mundo parar.
Enfim, fiz coisas que até Deus duvida, mas não me arrependo de nada que foi feito. TUDO VALEU A PENA. CONTINUO SENDO UM PESCADOR DE ILUSÕES E ESCREVENDO NO MEU LIVRO SEM FINAL...

Desejo a todos os meus amigos, a minha amada família e aos meus caros leitores, um Super FELIZ NATAL. E espero que todos tenham alcançado seus metas e seus objetivos.
Um beijo no seu coração, você mesmo que acaba de ler essas tão humildes palavras de um PEQUENO APRENDIZ...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Mandando notícias

Tanto tempo sem aparecer por aqui, estava até com saudades.
Mas só que os anos passam e as responsabilidades vão aumentando. Tempo livre é uma coisa que falta no meu dia-a-dia. É aí que me dou conta que já não sou mais criança nem aquele adolescente querendo ser adulto. Já sou o próprio adulto.

Antes de vir postar alguma coisa, fiquei pensando no que escreveria. Procurei textos prontos, mas quero acabar com isso de ficar colocando palavras de outras pessoas para expressar o que estou sentindo. Quero ser mais original, mais autêntico e colocar com as minhas próprias palavras.
Confesso que não é uma tarefa fácil para quem anda com a cabeça fervilhando de coisas pendentes. Mas é claro que não vou abolir os textos prontos. Tem momentos que ele é muito útil...
Enfim, não vejo a hora de entrar de férias, poder descansar minha mente, meu corpo, e voltar a escrever meus contos. Nossa! Que saudade de escrever histórias. Misturar ficção com a realidade. Agora há pouco estava relendo alguns contos que escrevi. Puxa! Pensei que tivesse sido outra pessoa que tivesse escrito. [rsrsrs] Uma história louca, mas interessante. E tem alguns contos que escrevi a partir de sonhos. É legal porque é uma forma de anotar o próprio sonho. Quando eu estava relendo foi como se eu tivesse sonhando novamente... Muito bom.

Por hoje vou ficando por aqui.
Voltarei em breve com mais tempo livre e com mais novidades e muito mais contos. =D
Beijos em todos os seguidores...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Momentos I

Em uma manhã chuvosa a vontade de permanecer na cama é grande, mas agora não dá mais, a responsabilidade aumentou, Já sou adulto e o trabalho me espera.
Cada minuto que passa a chuva aumenta, já dá pra escutar os pingos fortes caindo no chão. O cheiro de terra molhada invade o ambiente onde estou. Olho pro céu e vejo tudo branco.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Encontros e Desencontros III

Quando comecei a relatar os meus Encontros e Desencontros, pensava que não passaria de encontros com outras pessoas. Mas ultimamente tenho tido encontros e desencontros com um ser que jamais me passou pela cabeça que teria. Eu tive um forte e decisivo encontro, e ao mesmo tempo um desencontro, comigo mesmo. Por um momento pensei que já me conhecesse, que já soubesse o bastante ao meu respeito. Foi aí que a vida disse: "O bastante que sabes, não é nada."

Alguns dias atrás estive perguntando ao universo porque eu estava passando por isso ou por aquilo. O que eu ainda tenho que aprender para poder ser feliz no amor?! Encontrar alguém e juntos dividirmos uma vida, momentos inesquecíveis das nossas vidas!?
Então uma voz me disse que eu ainda tenho uma tarefa que não é muito fácil, mas é decisiva. É uma lição espetacular... Fiquei dias tentando descobrir que tarefa seria essa. Aí comecei a olhar para dentro de mim, comecei a me observar, as minhas atitudes, as minhas vontades e desejos. Desde que passei pelo maior aprendizado da minha vida no começo desse ano, que eu tenho sido "infeliz" no amor...
Porque depois que passei pela maior desilusão achei que tinha sofrido o bastante e que tinha chegado a hora de encontrar alguém pra vida toda. Que é justamente o que tenho procurado nas pessoas com quem me relaciono. E desde então não consigo encontrar ninguém com essas características, quando encontro não rola a química [ou da minha parte ou da outra parte]. Então decidi deixar pra lá, deixar o destino resolver. Mas estava tão triste que acabei fazendo as perguntas para o universo. E como eu disse, depois de muito me observar cheguei a uma conclusão, ou melhor, descobri a minha tão difícil tarefa.

Existem 7 pecados capitais, [me lembrei muito de uma novela que passou há pouco tempo - 7 pecados - e a mensagem que a novela queria passar, é o que eu estou vivenciando agora]. Ninguém está livre de ter pelo menos um desses pecados [abaixo coloco todos os pecados e explicações]. Então comecei a procurar quais desses pecados que estavam atrapalhando o meu crescimento... E foi aí que descobri que a avareza, que também denomino de egoísmo, predomina em mim. Dentre várias atitudes, percebi que sou ciumento, e o ciúme é egoísmo... Nessa hora caiu a minha ficha, descobri porque não posso ser feliz no amor, ainda.
Como pode uma pessoa egoísta dividir uma vida? Como posso viver uma vida a dois, se só aprendi a viver só, individual?
Bom, agradeço muito a Deus pela oportunidade de me fazer descobrir a pedra que esta no caminho do meu crescimento. E então entendi porque a tarefa vai ser tão difícil... Que venha mais um aprendizado, eu sou forte e corajoso, aguento o que for. E tenho toda a certeza que vou ultrapassar mas uma barreira.

Felizes daqueles que conseguem entender as mensagens vindas do universo. E que tem a coragem e a força de vontade de ultrapassar qualquer obstáculo que apareça no caminho.
Prestem mais atenção quando fizer uma pergunta solta. As perguntas vão pro universo e sempre a resposta vem em seguida...

Os 7 Pecados Capitais:

A Ira: Tem como sinônimos a raiva, a cólera, agressividade exagerada. As origens da ira podem ser por meticulosidade, por perfeccionismo ou até mesmo por desqualificar nossa capacidade de solucionar problemas bem como a importância desses problemas. Basicamente a atitude mental que está por trás da ira é "quero destruir’ ou "eu quero e você deve". Por baixo de toda ira quase sempre detectamos medo: de errar, de expressar-se de outra maneira,de perder espaço,etc. Ao invés de temer as pessoas atacam para defender-se de seus fantasmas.

A Gula: No sentido literal, gula é o excesso no comer e beber,na sua simbologia maior significa voracidade.A característica da gula é engolir e não digerir.A gula pode ser entendida como gula intelectual inclusive, o sentido que está por trás da gula é o de estar funcionando abaixo das nossas , potencialidades. A sensação é de que não estamos fazendo tudo que o nosso potencial permite, que estamos vivendo sem atender nossas expectativas. A atitude mental básica é : necessito aprender tudo.

A Inveja: É o desgosto ou pesar pelos bens do outro, a dificuldade de admirar o outro, o sentimento de injustiça .O slogan que define a inveja é : Ele é mais do que eu, também quero" a inveja nos faz perder o contato com nossas reais possibilidades. O que deixa a inveja bem caracterizada é a sua expressão pelo comportamento não verbal, o olhar, principalmente. Não devemos confundir a competição com a inveja. Esta última é um sentimento negativo que pode transformar o processo de competição em algo destrutivo.

O Orgulho: É o brio, a altivez, a soberba. A sensação de que "Eu sou melhor que os outros" por algum motivo. Isto leva a ter uma imagem de si inflada, aumentada, não correspondendo a realidade. Surge com isso a necessidade de aparecer, de ser visto passando inclusive por cima de padrões éticos e vendo os outros colaboradores ou colegas minimizados.

A Avareza: Define-se como estar excessivamente apegado a alguma coisa levando a um grande medo de faltar, uma percepção de escassez. A avareza pode ser percebida no cotidiano das empresas levando ao slogan: "Não tenho confiança em ninguém" logo terei avareza com as informações que me chegam as mãos, com a expressão dos sentimentos e opiniões em relação aos projetos que estou envolvido, etc. Economizo pensamentos, sentimentos e ações pois não consigo lidar com a diversidade, com a transparência entrando num clima defensivo.

A Preguiça: É definida como aversão ao trabalho, negligência. Este sentimento faz com que as pessoas desqualifiquem os problemas e a possibilidade de solução destes. A preguiça não se resume na preguiça física mas também na preguiça de pensar, sentir e agir. A crença básica da preguiça é "Não necessito aprender nada", levando a um movimento freador das idéias e ações dentro das organizações que no cotidiano e traduzido pelo "deixa para depois".

A Luxúria: É definida como uma impulsividade desenfreada, um prazer pelo excesso, tendo também conotações sexuais.

Vale salientar que os sentimentos envolvidos nos Pecados Capitais por si só não são negativos. O negativo é alimentá-los e agir sob o efeito deles não combatendo-os nem trazendo novas alternativas de comportamento, minando com isso o crescimento e o fortalecimento das competências.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Os Sonhos e os Professores

Professores, vocês não precisarão de sonhos para ter eloquência, metodologia, conhecimento lógico. Nem precisarão de sonhos para gritar com os alunos, implorar silêncio em sala de aula, dizer que não terão futuro se não estudarem.
Mas precisarão de sonhos para transformar a sala de aula num ambiente prazeroso e atraente, que educa a emoção dos seus alunos, que os retira da condição de espectadores passivos para se tornarem atores do teatro da educação.
Precisarão de sonhos para esculpir em seus alunos a arte de pensar antes de reagir, a cidadania, a solidariedade, para que aprendam a extrair segurança na terra do medo, esperança na desolação, dignidade nas perdas.
Precisarão de sonhos para serem poetas da vida e acreditarem na educação, apesar de as sociedades modernas a colocarem em um dos últimos lugares em suas prioridades.
Precisarão de sonhos espetaculares para terem a convicção de que vocês são artesãos da personalidade e saberem que sem vocês nossa espécie não tem esperança, nossas primaveras não têm andorinhas, nosso ar não tem oxigênio, nossa inteligência não tem saúde.

Augusto Cury [texto retirado do livro "Nunca Desista de Seus Sonhos"].

------------------------------------------------------------

Parabéns todos os Professores nesse dia dedicado a nós educadores...

Eu que nunca pensei em ser um professor, ou melhor um educador. Estou agora atuando nessa área com crianças carentes de atenção, amor e um pouco de carinho. Está sendo uma experiência maravilhosa poder passar o pouco que eu sei para os meus alunos, e poder plantar a sementinha do amor e da dedicação em todos eles.
Hoje, dia dos professores, parabenizo todos que trabalham com amor, dedicação e com vontade nas salas de aula. Porque essa profissão é uma das mais significantes e bonitas.
O que seria dos profissionais [de qualquer área] se não fossem os professores? Todos precisamos que alguém nos ensinem algo. E quando falam em ensinar pensamos logo nos PROFESSORES...

Por isso... PARABÉNS PROFESSORES!!!!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Garoto de Programa - Anúncio

LEIA ATÉ O FINAL. O prazer oferecido supera o de uma simples transa.

Falo três idiomas diferentes e isso não afeta minha capacidade em entender gestos, estes que correspondem a maior parte de nossa comunicação. Sou alto no comprimento e nas metas que busco. Tenho 84kg mas minha alma é bem leve, o que contradiz com meu corpo grande, reflexo de musculação e treinos de muay thay.

Tenho 23 anos mas vc nunca adivinhará minha idade, pois ajo como criança ao encarar uma vida que insiste em nos tirar do faz-de-conta mas trato com seriedade aquilo que se exige. Brincar com alguém é a única pirralhice que não me permito, do resto, vale tudo por um sorriso.
Tenho braços fortes, cabeça feita e pés no chão, mas não permito que o raciocínio e a lógica tomem conta do meu lado infantil, este que se manifesta nas mais diversas situações.
Sou formado em administração, mas não costumo levar meu cotidiano pra dentro do quarto. Meus conhecimentos em matemática , psicologia e direito ficam atrás da porta, junto com meus pudores e algumas de minhas idéias antiquadas.

Minha postura quanto ao sexo é subjetiva, porém, criativa, assim como meu eterno costume de marcar aquelas que passaram pela minha cama. Prometo ser íntegro, mas não posso prometer ser sempre o mesmo.
Não atendo clientes que sofram de carência crônica, baixa auto-estima e principalmente os arrogantes. Sou tolerante a muitos defeitos, assim como espero tolerância dos meus, mas estes em especial impossibilitam meu tesão em alguém.

Não costumo cobrar por hora mas sim por noite, por dia, por finais de semana, e pelo tempo que costumo gastar pensando nas formas de surpreender. Não existe valor média para cobrança de meus serviços, não uso unidade monetária pra definir meu valor.
As formas de pagamento são acertadas conforme o desejo do cliente, mas particularmente não busco pagamento a vista. Procuro deixar o cliente em débito, afim de sempre surgir uma nova possibilidade de encontro, mesmo que seja apenas para pagamentos de encontros anteriores.

Deixo meu telefone para contato e não respondo a e-mails. O mínimo de humanismo que exijo é a voz, uma vez que a escrita é planejada, dotada de pensamento e capacidade de esconder os defeitos, os gaguejos e os vacilos que nos tornam humanos.

Luís Dutra

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Encontros e Desencontros II

Hoje estou aqui pra falar de uma conversa que eu tive com um aluno meu.
É engraçado como muita gente acha que SÓ podemos aprender com os mais velhos, que os mais novos não sabem de nada e não tem nada pra nos oferecer.
Engana-se quem pensa assim...
Não sou a favor de descartar os mais velhos, deixa-los de lado. Isso é burrice. Mas que existem jovens que tem muito pra ensinar. Isso existe.
É até de se espantar. Porque muitos jovens só querem saber do avanço da tecnologia, do que ela é capaz de lhe oferecer, principalmente os da classe média alta pra cima, que tem tudo do melhor e mais moderno. Só querem saber do celular mais moderno, do "mp350"... e são essas coisas que pedem de presente todos os dias aos pais. Mas não param pra conversar, pedir conselhos. Pra quê? Se o "mp350" já pode oferecer consulta pra saber como seguir a vida.... Os pais só servem para morrer de trabalhar e dá o que os filhos pedem. Porque senão eles se revoltam. Olha só onde chegamos, e a que ponto chegamos...
Que pena...
As famílias estão se desintegrando e não estamos tomando consciência disso. Falo isso por experiência própria... Vejo o que acontece na minha casa todos os dias.
Quem tiver a oportunidade de mudar isso na sua casa. Faça agora. Não deixe pra depois.
É o que eu vou fazer também.

Voltando ao meu aluno.
Ele chegou pra mim e perguntou: "- Professor, o senhor quer morrer?" Eu respondi que quando tiver que acontecer vai acontecer. E perguntei por que. Ele disse: "-Porque eu quero morrer. Não gosto daqui."
Eu disse:
"- Daqui onde?"
"- Daqui do planeta Terra. As pessoas não cuidam dele, só fazem destruir. Acabam com o meio ambiente. Não fazem nada pra proteger. Poluem o ar, causam o efeito estufa e não acham solução para salvar o planeta."

Gente, confesso que fiquei sem palavras na hora. Não esperava que o meu aluno de 12 anos, chegasse com uma conversa dessa. A única coisa que consegui responder foi: "-Infelizmente a humanidade esta perdida."
Quase que eu dizia: "-Vamos ali se matar, porque você tem toda a razão." hehehe
O que eu fiquei mais surpreso, foi saber que ainda existe crianças que pensam no planeta em que vivem. Ah! se todas as crianças pensassem da mesma forma e decidicessem mudar o mundo.
Por um lado fiquei feliz, por outro fiquei triste.
Fiquei feliz em saber que ainda existem crianças sensíveis com as destruições do mundo. E fiquei trsite porque de 20 crianças, 1 tem essa sensibilidade...
Vamos acordar pessoal. A cada dia que passa fica mais insuportável viver no mundo.

Deixo umas perguntas pra vocês:
Será que isso tudo tem salvação?
Quantos anos ainda temos em cima desse planeta?

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Viva

Ame...
Apaixone-se...
Erre... erre quantas vezes forem necessárias...
Sorria...
Brinque...
Chore...
Beije...
Morra de amor...
Sinta...
Sonhe...
Cante...
Grite...
Viva...

O fim nem sempre é o final...
A vida nem sempre é real...
A roda nem sempre é gigante...
O tempo... o tempo não para...
E já que não para vamos comemorar nossas conquistas.

Não corra atrás de quem você ama, a vida traz quem você MERECE...
Tudo que vai volta, e se não voltar com certeza marca...
A vida continua e não é feita de ilusões...
Tem gente que perde as coisas de bobeira achando que vai conseguir mais tarde...
Tem pessoas que esperam acontecer pra dar certo.
Tudo na vida é passageiro, nada é por acaso...
Saiba amar e ser amado...
Simplesmente saiba ser feliz...

--------------------------------------------------------------------------

Recebi de um amigo essas palavras que me tocaram profundamente.
Realmente o que falta em muitas pessoas é VIVER...
Viver o hoje, o agora. As pessoas se preocupam muito com o amanhã, com o daqui a pouco... E esquecem de viver o instante. Perde os melhores momentos da vida preocupados, planejando o futuro.
Não planejemos mais, vamos a partir de agora fazer um pequeno esboço do nosso futuro. Porque é certo que as coisas nunca saem como queremos, e sim como Deus quer e na hora que ele quer.

Por isso, vamos viver o agora. Vamos aproveitar esse presente que Deus está nos dando. Esse presente chamado de HOJE.

Leiam quantas vezes precisarem. Mas não apenas leiam. REFLITAM!!!


domingo, 30 de agosto de 2009

É Só Você Querer

"O meu amor é seu
É só você querer
Eu faço qualquer coisa pra ficar com você.

Te dou meu coração
E o que você sonhar
Você não sabe como é grande essa vontade de te amar.

Você tem o perfume da manhã
E eu fico doidinho pra cheirar
A sua boca é uma romã
E eu fico doidinho pra beijar.

Você é minha luz eu vou seguir
Porque sei que posso me dar bem.
O meu coração me diz
Igual a tu não tem ninguém."

Nando Cordel

domingo, 23 de agosto de 2009

Caminhos Cruzados

"Quando um coração que está cansado de sofrer
Encontra um coração também cansado de sofrer
É tempo de se pensar,
Que o amor pode de repente chegar.
Quando existe alguém que tem saudade de alguém
E esse outro alguém não entender
Deixa esse novo amor chegar,
Mesmo que depois seja imprescindível chorar.
Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
Nas coisas do amor que ninguém pode explicar.
Vem nós dois vamos tentar,
Só um novo amor pode a saudade apagar."

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Viver, apenas viver

Por que exitem pessoas que amam tanto magoar as outras?
Porque pessoas perdem tanto tempo de suas vidas tomando conta da vida de outras pessoas e julgando seus atos e atitudes, e até mesmo seu modo de levar a vida?

Pensei bem nisso durante algum tempo, e cheguei a uma simples conclusão de que é muito mais fácil julgar atos que considerem falhos de outras pessoas do que olharem para si mesmos, enxergarem suas vidas vazias e descobrirem que o que eles julgavam e consideravam fútil, vago, inútil ou ridículo, não é nada mais, nada menos o que gostariam de ter coragem para viver e não têm.
Então por que dar ouvidos e nos magoarmos com julgamentos alheios, críticas destrutivas de pessoas cheias de amargura?

Nada disso! Chega de se importar com o que os outros vão pensar.
Passemos por cima disso tudo e vamos mostrar o quanto é gostoso viver sem essas amarras de fazer o que os outros querem que façamos, de viver o que os outros esperam que vivamos, de ser o que os outros querem que sejamos.
Seja acima de tudo você mesmo, o tempo todo, independente do que as outras pessas pensam ou desejam que você seja.

Elas sim, que mudem e se tornem o que quiserem.
Coloquemos uma coisa na nossa cabeça: "Primeiro eu. O que eu gosto. Como eu me sinto. Se estou feliz ou não".

Viva levemente...

sábado, 15 de agosto de 2009

Curiosidade

É curioso, as pessoas atualmente procuram a intimidade para fugir da intimidade. Não desejam desejar, desejam se entreter, o que não é seu problema, mas acaba sendo por empréstimo. Fogem de qualquer possibilidade de instabilidade. Amor é instabilidade. Fogem das ameaças à mudança de rotina, à alteração na agenda, nas baladas e nos amigos. Estão mais preocupados em contar que não ficaram solteiros em uma noite do que em enfrentar os recalques de uma vida inteira. Fogem do próprio medo. Logo se despem para não mais se preocupar com a nudez. A nudez é um obstáculo porque exige dedicação. A nudez não é o que se mostra, é o que se descobre. É facilmente esquecida quando não foi imaginação. Se não é imaginada, não é vista.

É fácil seduzir no início. Seduzir se ambos não sabem nada um do outro. Tudo será fatalmente perfeito. É fácil mentir os vícios, jogá-los para trás com os cabelos. Apresentar disposição e entusiasmo, defender princípios tomando vinho, concordar que os ex foram canalhas para agradá-la. Isso é bajulação, não autenticidade. Uma mulher não quer ouvir um elogio, quer ser o elogio.

A conquista começa depois do sexo. Não antes. Não com palavras fabricadas, telefonemas súbitos, presentes inesperados.
Depois do sexo é o instante em que o homem vai revelar seu caráter, se ele se importa contigo ou apenas cata um espelho para confirmar a vaidade. Naquele instante em que junta as roupas. Com a cabeça baixa, denunciou que não está ali. Que foi embora antes da despedida. Aquele instante já é o dia seguinte.

Não há nada mais erótico do que a compreensão. O erotismo é ultrapassar o ouvido com a amizade, com o conhecimento cada vez maior do corpo.

Não se está pedindo para casar em todo encontro, porém que o encontro sirva para consolidar o apego à vida. Não me importaria com quem não telefona depois. É difícil ser gentil? Creio que sim, pois
a delicadeza só é feita para grandes homens, que não têm receio de se mostrar por inteiro, com seus riscos e alternâncias. Pode reparar que a sinceridade sempre vem junto de uma autocrítica implacável. Um parceiro que mostra seus defeitos de cara será mais aberto a um compromisso.

Falar dos erros.
Não há como abolir o erro. O erro é aprendizado e lhe fará chegar mais rápido ao que busca. Sem o erro, poderia demorar ainda mais. O importante é que não se diminua diante da resistência, não aceite mudar porque não é compreendida. Como ensina Millôr: "De erro em erro, nasceu a alta culinária."

Continue acompanhada de uma ausência, até que alguém possa ser mais inteligente do que uma cadeira vazia.

Fabricio Carpinejar

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Desencontro

Estava relendo algumas postagens que coloquei tempos atrás. E parei em uma interessante, Encontros e Desencontros I. Pude perceber que desde então eu nunca mais me permiti conversar com ninguém, ou talvez eu não tenha prestado a atenção nas pessoas que passaram por mim e contaram suas histórias. Confesso que estou me sentindo mal por isso.

Com pude ser tão arredio e deixar escapar das minhas mãos aprendizados magníficos?

Talvez eu tenha estado muito ocupado com minhas preocupações, meus "problemas" e minhas loucuras e não tenha prestado atenção. Ou talvez eu não tenha permitido, [incosncientemente], que alguém chegasse e entrasse em meus pensamentos. Fui egoísta, mesmo sem querer. Mas não quero permirtir novamente outro desencontro desse.

Pode vir quente que eu estou fervendo.. rsrsrs

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Paixão = Projeção?


"Segundo alguns psicanalistas, quando se apaixona, você não se relaciona com alguém de carne e osso, mas com uma projeção criada por você mesmo. E a projeção que fazemos é de um ser absolutamente perfeito, mas depois de um período a projeção acaba e você passa a enxergar de verdade a pessoa com quem esta se relacionando. Invariavelmente, algumas virtudes do parceiro(a) vão embora junto com a projeção, outras ficam... E se o que ficou de cada um for suficiente para os dois a relação perdura, caso contrário, ninguém sabe o que faz o botãozinho ligar e iniciar uma nova projeção... O amor é inexplicável, mas tem umas coisas que você pode entender."

-----------------------------------------------

Esse texto foi de um comercial do chocolate Serenata de Amor, durante o mês de Junho [mês dos namorados]... Encontrei por um acaso no blog de um colega.

Não tenho palavras para comentar o conteúdo desse magnífico texto... Não há como duvidar da veracidade e da beleza. E pra quem já passou, ou está passando, por problemas de relacionamento sabe do que estou falando...

Infelizmente nas minhas experiências amorosas o que ficou de cada um não foi suficiente para perdurar. E eu não encontrei esse botãozinho. Vai ver que não era amor, era paixão, ou melhor, uma projeção criada por mim...

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Foco novamente

Estou um pouco chocado ainda com as palavras do meu professor. Mesmo sem querer, ou querendo, ele conseguiu me tocar tão fundo. Conseguiu me fazer acordar em tempo... Hoje na aula que tivemos, fizemos uma avaliação da disciplina. Como só eram três alunos na sala. Ele pode tocar profundamente cada um dos alunos com suas palavras diretas, e até mesmo indiretas. E pra cada um ele fez uma avaliação, quer dizer, não foi bem uma avaliação, posso dar a isso o nome de conselho.

O professor olhou dentro dos meus olhos, e como se conseguisse ver através da minha alma, falou as palavras que me chocaram. Mas foi um choque do bem. Aquele choque que muitas vezes necessitamos para acordar e reorganizar nossa vida. Ele falou tudo o que eu precisava ouvir. Disse que se eu não fosse um excelente profissional, iria pra São Paulo, lutar, lutar e voltar pra cá sem ter alcançado o meu objetivo, como fizeram várias outras pessoas [que prefiro não citar nomes]. Lógico que ele não falou com essas mesmas palavras. Mas foi o que absorvi da lição que ele estava me dando... Meu coração acelerava a cada palavra que ele dizia.

Então pude perceber que eu estava perdendo meu foco. [Desde que descobri a minha vocação para o Teatro, que tinha em mente sair daqui de João Pessoa e ir pra outra cidade aperfeiçoar meu dom. A princípio queria ir pro Rio de Janeiro, mas com o tempo percebi que indo pra São Paulo eu iria ter mais chances de alcançar meu objetivo].

Hoje a minha mudança pra Sampa está 90% certa. Mas diante das palavras do meu professor – que graças a elas pude ver o meu objetivo bem na minha frente novamente -, estava morrendo de ansiedade pra ir embora logo, por pura vaidade. Tipo, mudar de cidade, “sair” de casa, aprender a ser gente grande. Sabe? E aquele que era o meu foco principal, no começo, não estava mais no topo das prioridades. Era apenas o motivo que eu alegava para satisfazer minha vaidade, minhas fantasias de ser gente grande... Mas hoje pude voltar a acreditar no meu sonho. Tornar a ver o meu foco no topo como prioridade máxima. Quero, e vou pra São Paulo, mas com um objetivo, ou melhor, com ‘O’ objetivo. Só que pra isso eu preciso voltar a acreditar em mim. Tenho que ler mais sobre teatro, me dedicar mais à profissão. Ter aquele mesmo entusiasmo de quando subi num palco pela primeira vez...

Ultimamente tenho estado afastado do teatro, sem grupo. O único contato com o teatro que tenho agora é na universidade. E mesmo assim não é a mesma coisa de quando você tem um grupo. Mas tudo isso foi por opção minha. Precisei dá um tempo pra me dedicar mais ao estudo e terminar logo o meu curso. Só que foi justamente lá dentro – da universidade -, que minha empolgação foi desmoronando. Não via entusiasmo dos professores, aquela força pra seguir em frente, pra subir cada vez mais. [infelizmente não vou entrar nesse assunto agora, porque isso dá outro post]. Mas a universidade não foi a única que me fez perder o entusiasmo. Algumas pessoas do meio artístico me decepcionaram muito. Só o que via era inveja, intriga, fofoca, um querendo ser mais que o outro, falta de responsabilidade, de ver o teatro como profissão e não apenas hobbie. Enfim, essas são algumas coisas que me fizeram perder o foco... Sei muito bem que isso existe em todos os lugares, em todas as profissões. Fui um fraco por deixar me abater por isso. Mas as vezes é preciso passar por esse tipo de coisa, porque quando tentar pela segunda vez você tenta com a certeza do que quer. E já vai preparado para o que vai encontrar...

Voltando ao meu professor. Ele fez, justamente, o que eu estava precisando. De uma chacoalhada para eu acordar. E de um confronto com o meu desejo. Porque tem hora que você precisa que alguém duvide daquilo que você tem certeza... E eu já não ouvia mais ninguém duvidar de mim. Não tinha um estímulo – aquele que faz alguém mexer com o orgulho. Que diz que não sou capaz disso, mas eu sei que sou, e faço tudo pra mostrar que sou capaz... Mas agora eu posso dizer – pra mim mesmo -, com todo o orgulho, que sou capaz de enfrentar tudo pelo meu desejo, pelo meu objetivo. Custe o que custar...

domingo, 26 de julho de 2009

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei.
Não sei se fico ou passo.
Sei que canto.
E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E sei que um dia estarei mudo:
- mais nada.


Cecília Meireles

terça-feira, 21 de julho de 2009

Ser de Ninguém


Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares, levanta os braços, sorri e dispara: "eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também".

No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos descompromissados, os adeptos da geração "tribalista" se dirigem aos consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu.

Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo - beijar de língua, namorar e não ser de ninguém.
Para comer a cereja é preciso comer o bolo todo e nele, os ingredientes vão além do descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte, não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa, não se importar se o outro estiver beijando outra, etc, etc, etc.
Desconhece a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade, carinho e amor.

Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e ser cuidado por ele, é telefonar só para dizer bom dia, ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas... Enfim, é ter "alguém para amar".
Somos livres para optarmos! E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se permitir viver um sentimento...

Arnaldo Jabor

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Bons Amigos


Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!
Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!
Benditos os que guardam amigos , os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!
Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!
Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!
Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

Machado de Assis

---------------------------------------------------------------------------

Quero dedicar essa linda poesia de Machado de Assis, à todos os meus amigos...
Amigos verdadeiros, que me amam pelo o que sou e não pelo que tenho. Amigos que me aconselham, que choram junto comigo, que riem das minhas aventuras, das minhas loucuras.

Amigos, obrigado por tudo, em especial pelo carinho que recebo de todos vocês.
FELIZ DIA DO AMIGO! Eu sei que todo dia é dia do amigo, mas hoje é especial para podermos declarar aos 4 cantos o quanto nós nos amamos. E que nunca esqueçamos em quem podemos confiar...


quinta-feira, 9 de julho de 2009

Quero voltar a confiar

Fui criado com princípios morais comuns: Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades dignas de respeito e consideração.
Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades...

Confiávamos nos adultos porque todos era pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade...
Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror.
Hoje me deu uma trsiteza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que os meus netos um dia enfrentarão. Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos.

Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Trabalhor digno e cumpridor dos deveres virou otário. Pagar dívidas em dia é ser tonto... Anistia para corruptos e sonegadores.

O que aconteceu conosco?

Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.

Que valores são esses?

Automóveis que valem mais que abraços. Filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Filhos esquecendo o respeito no trato com os pais e avós. No lugar do senhor, senhora, ficou "oi cara?", "como está coroa?". Celulares nas mochilas de crianças.

O que vais querer em troca de um abraço?

A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete.
Mais vale parecer do que ser...

Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores. Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão. Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de carater, a cara mais limpa e o olhar olho-no-olho. Quero sair de casa sabendo a hora que estarei de volta, sem medo de assaltos ou balas perdidas.
Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Onde uma palavra valia mais que qualquer documento assinado.
Quero a esperança, a alegria, a confiança de volta. Quero calar a boca de quem diz: "temos que estar ao nível de...", ao falar de uma pessoa.

Abaixo o "TER", viva o "SER".

E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como o céu de primavera, leve como a brisa da manhã. E definitivamente bela, como cada amanhacer.

Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existiam amor, solidariedade e fraternidade como bases. A indignação diante da ética, de moral, de respeito...
Vamos voltar a ser "gente". Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.

Utopia? Quem sabe?... Precisamos tentar...
Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!

Arnaldo Jabor

sábado, 4 de julho de 2009

Covardia


Você foi covarde. Seu amor é forte, seu corpo é fraco. Você foi covarde como tantas vezes fui por acreditar que a coragem viria depois. A coragem não vem depois. A coragem vem antes ou não vem. Não posso amaldiçoar sua covardia. Sua boca não é rápida como suas pernas para me agarrar. Minhas pernas não são tão rápidas quanto minha boca para lhe impedir.

Você foi covarde. Pela gentileza de sempre dizer sim, repetidos sim, quando não estava ouvindo. Já desfrutei de sua covardia, ríspido recusá-la agora porque não me favorece. Porque não fui escolhido.

Não aquecerei seu prato para servi-la. Não a ajudarei no parto. Não partirei. Serei aquele que deveria ter sido, enterrado sem morrer, o que desapareceu permanecendo perto. Sou seu constrangimento mais alegre. Sua ferida, seu feriado.
Com o tempo, serei sua vontade de se calar. De se retirar da sala. Não conhecerá meus hábitos de puxar o café antes de ficar pronto. De abrir as venezianas como quem procura reunir os chinelos ao vento.

Você foi covarde, ninguém iria compreendê-la. Hoje todos a compreendem, menos você mesma. Você não se compreende depois disso. O que é imenso é estreito. O que é infinito fecha. Até o oceano tem becos e ruas sem saída. Até o oceano.

Sua esperança não diminui a covardia. Quer um conselho? Finge que a dor que sente é a minha para entreter sua dor. Saudades ficam violentas quando mudamos de endereço. Saudades ficam insuportáveis quando mudamos de sentido.
Você confunde sacrifício com covardia. Compreendo. Eu confundo amor com loucura. Cada um tem seus motivos, sua maneira de se convencer que fez o melhor, fez o que podia. Você me avisou que não tinha escolha. Nunca teria escolha. Você foi educada com a vida, pediu licença, agradeceu os presentes. Confiou que a vida logo a entenderia. E cederia. Engoliu uma palavra para dormir.
Não serei vizinho de seu sobrenome. Seus nomes esperam um único nome que ficou para trás. Você não desencarnou, não se encarnou, deixou sua carne parada nas leituras. Morrer é continuar o que não foi vivido. Vai me continuar sem saber. Você foi covarde. Com sua ternura pálida, seu medo de tudo, sua polidez em cumprir as promessas.

Você não aprendeu a mentir. Tampouco aprendeu a dizer a verdade. O dia está escuro e não soprarei a luz ao seu lado. O dia está lento e não haverá movimento nas ruas.
Você não revidou nenhuma das agressões, não revidará mais essa. Você foi covarde.
A mais bela covardia de minha vida. A mais comovida. A mais sincera. A mais dolorida.
O que me atormenta é que sou capaz de amar sua covardia. Foi o que restou de você em mim.

Fabrício Carpinejar

quarta-feira, 1 de julho de 2009

A Volta - Para os leitores

Aos leitores

Olá meu grande público, meus adorados leitores e admiradores...
Como podem ver no post abaixo, estava fora do mundo virtual - quase enlouqueci -, mas agora estou de volta. E espero que por muito e muito tempo....

Devido aos acontecimentos inesperados, parei no 6° capítulo do conto "A descoberta de Miguel". Não se preocupem - leitores - que assim que eu organizar tudo que esta pendente, volto a postar os capítulos. Na verdade volto a escrever o conto. Porque nem eu sei que descoberta é essa. E podem ter certeza que estou mais curioso do que todos. =D

Bom, espero ser bem recebido novamente. Espero a compreesão de todos, peço desculpas pela ausência, sei que estavam com saudades - eu muito mais.
Continuem seguindo esta Águia cheia de mistérios. Porque, verdade seja dita, nada mais estimulante do que o mistério...


Beijos e até já já.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

A doença sem cura


Estou muito triste.
Me sinto fora do mundo. É como se ele estevisse girando dentro de uma bolha de vidro e eu não pudesse entrar...
Nunca pensei que eu fosse tão dependente da tecnologia. Sinto informar que nessa sociedade pós moderna, ninguém está livre disso. Hoje não tem um ser humano que não dependa de alguma tecnologia, de algum recurso tecnológico.

Estou sem computador e sem internet. Os dois resolveram ficar intrigados de mim justo num momento em que não tenho condições de trocá-los. Tudo bem, eles me serviram bastante tempo. 5 anos não é pouca coisa. Então, me sinto um peixe fora d'água. Quando me deito pra dormir, demoro a pegar no sono, sinto que está faltando algo, que o meu dia ainda não pode acabar, pois ainda não dei uma olhada no meu email, no meu orkut, não escrevi no meu blog...
Sinceramente isso é um absurdo, como pode a tecnologia dominar a nossa vida? A mesma coisa acontece quando ficamos sem o celular. Quando saímos e esquecemos ele em cima da cama, algo fica estranho em nós, a sensação é de estarmos completamente nú...

Mas agora é tarde e eu já estou com a doença da pós modernidade.
Será que isso tem cura? Creio que não. A humanidade já está no grau máximo da doença e a tendência é só piorar. O próprio homem está acabando com o mundo e com si mesmo...

E agora?

terça-feira, 12 de maio de 2009

Encontros e Desencontros I

Cruzamos com várias pessoas todos os dias. Seja dentro de um ônibus ou de um elevador, em lugares abertos ou fechados. Em situações agradáveis, e muitas vezes desagradáveis. Sentam ao nosso lado, passam por nós, às vezes desejamos um bom dia e algumas vezes basta deixar que o olhar fala. O engraçado nisso tudo é que muitos têm problemas, angústias, alegrias, tristezas... Tudo o que desejam é alguém pra desabafar.
Mas como confiar numa pessoa que você nem conhece? Como vou contar a minha vida pra um estranho? Sei que a maioria pensa isso. Outros começam a dar seu depoimento, porque estão tão saturados daqueles sentimentos e pensamentos, que basta você perguntar a hora para a pessoa começar a dialogar e desabafar... Muitos dizem: “Que saco! Estou pouco me lixando pra o que essa criatura tem pra falar. Não estou a fim de papo”. Mas não sabem a lição que podem estar perdendo. Mesmo que você não fale nada, apenas escute o que aquela pessoa tem pra falar. Ela só está querendo um pouco de atenção. Tente absorver da história algo útil pra sua vida... Com certeza alguma lição você aprenderá, mesmo que seja uma fofoca, algo bom você vai conseguir absorver...

Essa lição aprendi com uma grande amiga minha. Uma das pessoas que mais admiro nesta vida. Quem quiser conhecer os “Encontros e Desencontros” dela é só clicar aqui...
Com isso resolvi “copiá-la”. Comecei a observar as pessoas que passam por mim. Comecei a conhecer suas histórias, o que elas têm pra ensinar.
Hoje começo esse maravilhoso relato de “Encontros e Desencontros” [Como Marina mesmo descreveu]. Vou dividir aqui com vocês os meus aprendizados, os momentos que Deus me concedeu. Pois, como sempre digo: Nada é por acaso.
Hoje vou contar como conheci o Seu Martins...

Cheguei na universidade, e o estacionamento, onde sempre paro o carro, estava lotado. Acabei colocando em um lugar onde nunca parei antes. Ao voltar, com duas amigas, paramos em frente ao meu carro e quando olhei o pneu da frente estava totalmente baixo impossível de sair. Lógico que entrei em pânico, nunca tinha trocado um pneu na minha vida. Fiquei desesperado. Tudo o que eu temia tinha acontecido. Mas na mesma hora pensei: “Deus sabe o que faz”.
Fui na mala, tirei o estepe, o macaco... Ainda tentei afrouxar os parafusos do pneu, mas nada certo. E agora? Pedi a uma das minhas amigas para chamar alguém [são mulheres e com certeza alguém se prontificaria para ajudar]. Logo em seguida, uma delas chega acompanhada de um moço de estatura mediana, negro e de bom coração. Pois ele deixou o serviço para ajudar...
[Detalhe: Ele trabalha na lanchonete onde costumo lanchar e nunca tinha dado um bom dia para ele].
Nos apresentamos e de imediato ele começou a folgar os parafusos do pneu, preparou o macaco e nada de conseguir levantar o carro. O macaco estava afundando na areia [o meu carro estava parado na areia. Olha só!]. Fizemos de tudo, colocamos pedra, tijolo, papelão e até a sandália do Seu Martins, mas nada do carro subir. Uma das minhas amigas se despediu, ficando a outra que também deixava transparecer que queria ir embora...

Mas ainda ficou um tempo comigo.
O suor do Seu Martins começava a pingar do seu rosto. O trabalho estava difícil e árduo. Comecei a me desesperar mais ainda. Ficamos mais de uma hora nessa peleja, e finalmente ele conseguiu erguer o carro. Tiramos o pneu furado e na hora de colocar o estepe, não coube, tinha que subir mais o carro, só que o macaco não subia mais, estava no limite. Então coloca de novo, o furado, e desce o carro... Depois disso o macaco não funcionou mais. A minha amiga já tinha ido embora. Restando apenas eu e o Seu Martins. Ele sempre confiante e eu já querendo chorar...
Depois de tentar mais um pouco, eu pergunto se ele não conhece ninguém para pedir o macaco emprestado. Tentamos parar alguns carros, mas ninguém parou. Até que consegui emprestado com um rapazque estava num sala próxima do local. Ele então nos acompanhou e deu uma ajuda moral, dizendo como devia proceder, mal sabia ele que já fazia hora que estávamos tentando. Enfim conseguimos trocar o pneu. Agradeci ao rapaz do macaco, que me aconselhou procurar um borracheiro no mesmo dia, só que já era mais de nove horas da noite e não ia ter nenhum aberto.

Nessa hora Seu Martins pediu uma carona, dizendo que morava perto do meu bairro. É lógico que dei essa carona, era o mínimo que eu podia fazer para agradecer a ajuda e o esforço. Afinal de contas a lanchonete fechou e ele estava me ajudando com o bendito pneu.
Enfim, fomos conversando durante o caminho. E ele foi falando um pouco sobre sua vida. Pude perceber que ele é um trabalhador, humilde e está sempre disposto a ajudar o próximo. Confidenciou-me algo que nem a mulher sabe. E também foi me contando como ele ajudou o filho de um médico no interior. Fez o cunhado parar o carro pra ajudar ao rapaz, o cunhado ainda resistiu e ele disse: “Vamos fazer o bem sem olhar a quem”. O pai do garoto perguntou o que ele queria como recompensa pela ajuda. Ele disse que não queria nada, mas o pai insistiu. Aí ele pensou no presente que o filho gostaria de ganhar. Um computador. Que ele estava pensando em comprar uma peça de cada vez e montar o computador para o seu filho... Então o médico lhe deu de presente um computador de última geração. Imagina a alegria do filho de Seu Martins...
Nos despedimos, agradeci mais uma vez a ajuda e prometi uma sandália nova, pois a dele o macaco do carro acabou furando... Quando ele desceu do carro, me deu uma vontade de chorar, foi como se eu tivesse acabado de ter um encontro com um anjo. Mas senti que ele é uma pessoa necessitada, e tem um coração muito bom.


Pra você ver... Os humildes ajudam o próximo, não querem nem saber quem é. O importante é ajudar. Os “riquinhos” que passaram no carro, nem sequer pararam quando chamamos.
Quando acontecer uma situação parecida com você, não reclame, não se aborreça. Apenas agradeça a Deus, porque daquele momento você pode acabar conhecendo uma pessoa com um SER maravilhoso. Seu Martins me ensinou que não importa quem, não importa onde, o importante é AJUDAR...
E hoje aprendi a trocar um pneu. hehehehe

“Fazer o bem sem olhar a quem”

domingo, 10 de maio de 2009

Para minha MÃE

Existem milhões de formas de declarar o meu amor para minha Mãezinha, e fiquei pensando qual delas usaria para parabenizá-la pelo Dia das Mães. Resolvi então deixar o meu coração falar, pois ele está cheio de gratidão e amor, e ninguém melhor do que ele para fazer essa homenagem maravilhosa...

Dizem que todas as mães são iguais, mas eu não trocaria a minha por nada. Eu posso ter várias mães, ser amado por muitas mulheres que me consideram como um filho, mas só uma me conhece fundo, conhece os meus pensamentos e desejos, aqueles mais íntimos, mais secretos. Quem pensa que engana sua mãe está completamente equivocado. Mãe sente e sabe tudo sobre o filho, ela apenas finge que não sabe de nada, esconde muitas coisas, e algumas vezes para não deixar que o filho se sinta pressionado, e então ela espera ele ter confiança e segurança para lhe confidenciar algo...

Mãe é insubstituível. A minha não é diferente. Ela briga, obriga, ensina, resmunga, parece uma chata e muitas vezes é, mas sei que ela só quer o meu bem. Algumas vezes acaba errando querendo acertar, mas não faz por mal.
Tenta abrir os meus olhos e dizer que tal coisa é errada por já ter mais experiência, mas eu finjo que não escuto e acabo quebrando a cara lá na frente... E então ela me diz: "- Eu falei." Aí eu digo à ela: "- Mãe! A gente só aprende errando, apanhando mesmo."
Há sofrimentos inevitáveis, que só a vida pode ensinar. Só que a minha mãe acha que tem o dever de criar um filho dentro de uma bolha. Que eu não posso me machucar, sofrer... é a chamada "MÃE SUPERPROTETORA". E sempre que posso eu tento explicar isso pra ela. Digo que um filho precisa aprender a voar, a caçar sozinho. Mas mãe é mãe.

Peço a Deus pra dar muita saúde e muitos anos de vida à ela. Quero que ela me veja crescendo, que celebre junto comigo a realização do meu sonho. Quero que ela se orgulhe do filho que têm. Quero cuidar dela como ela cuidou de mim quando eu era uma criança. Quero retribuir o conforto que tive e tenho durante esses anos. Quero passar muitos e muitos anos comemorando o Dia das Mães ao seu lado.


TE AMO minha Mãe, Mainha, Mãezinha, Mãezona...


Aqui está um poema que não poderia deixar de oferecê-la. Não sei quem é o poeta, mas faça de conta que eu acabei de escrever especialmente para a Senhora. hehehehehehehehe
Posso não ter escrito, mas ao ler lembrei da MINHA MÃE.

Mãe,

Que ao dar a benção da vida,
entregou a sua...
Que ao lutar por seus filhos,
esqueceu-se de si mesma...
Que ao desejar o sucesso deles,
abandonou seus anseios...
Que ao vibrar com suas vitórias,
esqueceu seu próprio mérito...
Que ao receber injustiças,
respondeu com seu amor...

E que, ao relembrar o passado,
só tem um pedido:
DEUS, PROTEJA MEUS FILHOS, POR TODA A VIDA!

Para você mãe,
um mais que merecido:

Feliz Dia das Mães!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Perguntas Para um Relacionamento Duradouro


Desde o começo do ano que venho me estudando, me conhecendo, pois não me reconheço mais nas atitudes que envolvem relacionamentos... Eu mudei muito isso é fato, só que percebi que com essa mudança fiquei mais arredio. Tenho pensado muito antes de assumir qualquer compromisso sério. O problema que é as pessoas me interpretam mal, quando apenas o que eu quero é evitar sofrimentos de ambas as partes.
Tomei uma decisão e só vou ter um compromisso sério quando eu me sentir maduro para manter aquele relacionamento e sentir a mesma coisa da outra parte. Não vou mais "atirar na água". Relacionamentos a distância é um grande problema na minha vida. E é o que tem aparecido com frequência no meu caminho. Por isso evito muitas frustrações...

Acho que pra manter um relacionamento a distância é preciso amadurecimento do casal, pois não é tão fácil assim. CONFIANÇA é fundamental num relacionamento desse tipo. Pois você não vai poder frequentar os mesmos lugares que a outra pessoa, não vai saber como é o ambiente. E se você não conhecer muito bem e não confiar na outra pessoa, com certeza a angústia e o desespero vai aparecer.
Infelizmente, ainda tem pessoas que não me entendem, mas é melhor cortar o "mal" pela raiz do que alimentar uma ilusão e deixar a vida passar, com isso perder tempo e oportunidades...
Não sei se estou certo ou se estou errado, mas no momento é assim que me sinto... Estou me preparando para viver um relacionamento maduro. Ter uma união estável, e lógico que é o que eu espero encontrar na outra pessoa.

Tem um texto de Martha Medeiros que define muito bem o que eu espero de um relacionamento, de uma união...


Sermão do Padre durante o casamento - Martha Medeiros

Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?

- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros."

São essas perguntas que me faço antes de assumir qualquer compromisso. É bem verdade que ninguém é perfeito e que nem sempre todas as respostas dessas perguntas vão ser positivas. Mas quando respondo a maioria positivamente, aí sim, sei que estou preparado para assumir qualquer compromisso sem fazer ninguém sofrer...
Não procuro um casamento, mas alguém pra curtir a vida por um longo tempo ao meu lado, de preferência a vida toda [Não deixa de ser um casamento =D].
Só que isso não quer dizer que eu não experimente antes.. É lógico que provo antes de tomar qualquer decisão. rsrsrs

Então fica o meu conselho pra quem quiser. Tenho certeza que se assumirem um compromisso quando estiverem maduros, muitos sofrimentos serão evitados.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Precisamos da sua ajuda

Já falei sobre isso, mas cada vez que penso no assunto fico perplexo. O que está acontecendo com o tempo? O que está acontecendo com a humanidade?
Os dias passam e nem sequer nos damos conta da rapidez deles. Passam como nuvens no céu, como o vento em nós. Quando começamos a sentir... já passou. É muito louco tudo isso. E todos os dias me pergunto como se explica esse fenômeno. Será culpa da humanidade? Eu não tenho dúvidas de que a nossa humanidade está doente. E nós - que pensamos em um futuro melhor, que fazemos a nossa parte para vivermos em um planeta saudável - estamos adoecendo junto.

As pessoas pouco se interessam com o que está acontecendo, e isso me deixa triste. Elas fazem pouco caso... não ligam se a água vai acabar, se o aquecimento global está acabando com o planeta, se o meio ambiente está degradado. Pouco se importam com a própria casa, mas quando o assunto é dinheiro fazem até guerra, matam seus semelhantes, e tudo por causa de um bem que, se usado inteligentemente, poderia beneficiar a todos. [Mas isso é assunto pra outro post]

Voltemos para o tempo e para a humanidade...
Será que isso tudo tem cura? Pergunta bastante difícil de responder, mas se pararmos para refletir vai descobrir que há uma possibilidade. Já que os dias passam tão depressa e nem percebemos. por que a gente não começa com uma simples ação? Vamos aproveitar um dia de cada vez e vivê-lo como se fosse o último.
Esquecer do passado, lembrar pouco do futuro e aproveitar o presente... Esse é o meu conselho. Só que, vamos ajudar quem necessita. Solidariedade é fundamental. Vamos ajudar o meio ambiente, o nosso lar, a nossa casa, o PLANETA!
Não seja tão egoísta e individualista. Exclua do seu vocabulário: "Se fulano não faz, porque eu vou fazer?" Não seja tão idiota e ridículo. FAÇA A SUA PARTE! O mundo pede socorro e só depende de você, da sua ação hoje... Olhe pro lado e você vai encontrar a quem ajudar. A tarefa não é fácil, mas o resultado é esplêndido.

Vamos tentar curar a humanidade e salvar o nosso lar...

domingo, 26 de abril de 2009

Ilusões do Amanhã

'Por que eu vivo procurando um motivo de viver,
Se a vida às vezes parece de mim esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você.

Eu quero apenas viver, se não for para mim, que seja pra você.
Mas às vezes você parece me ignorar,
Sem nem ao menos me olhar,
Me machucando pra valer.

Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.

Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?

Será que esse mundo tem jeito?
Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão,
Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.
Talvez eu seja um tolo, que acredita num sonho.

Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.
Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito.

E como príncipe sonhador...
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.'

PRÍNCIPE POETA (Alexandre Lemos - APAE)

Este poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado, pela sociedade, de excepcional.. Excepcional é a sua sensibilidade!
Ele tem 28 anos, com idade mental de 15.

Se uma pessoa assim acredita tanto, porque as que se dizem normais não acreditam?

sábado, 18 de abril de 2009

Capítulo 6 - O porque da fuga

"A descoberta de Miguel"

Já passava das 10:00h da manhã e o Miguel ainda não tinha se levantado. Na noite passada demorara a dormir. Isadora chega até a casa dele e quem abre a porta é Dona Sílvia.

- Oi Dona Sílvia! Tudo bem com a senhora?
- Oi Isadora! Tudo bem sim minha filha, graças a Deus.
- Que bom. O Miguel está aí?
- Ainda não acordou. Esse menino anda tão estranho, não quer comer, vive trancado no quarto... –
Dona Sílvia tentando descobrir algo
– Você sabe o que esta acontecendo com ele, Isadora?
- Não, não –
Isadora desconcertada
- É por isso que estou aqui. Quero conversar, tenho achado ele meio triste. Posso subir para acordá-lo?
- Sim, minha filha. Fique a vontade.
- Com licença Dona Sílvia. Obrigada!


Isadora bate na porta do quarto mais ninguém atende. Ela entra mesmo assim e encontra Miguel já acordado, mas ainda deitado.

- Bom dia Mi! Vim saber como você está.
- Bom dia Isa! –
Miguel fala com um olhar meio distante
.
- O que aconteceu pra você ainda está deitado uma hora dessas?
- Tive insônia ontem e passei a noite toda relembrando alguns momentos que vivi com o Renato. Só consegui pegar no sono hoje cedo, mas mesmo assim só dei um cochilo.
- Estou vendo sua cara abatida. Mas levante vamos dar uma volta, o dia está lindo.
- Ah! Quero mesmo é passar o dia na cama.
- O quê? Você vai perder esse domingão? De jeito nenhum, eu não vou deixar. Vamos passear –
Isadora puxa o lençol do Miguel e nesse momento o anel cai no chão – O que é isso Miguel?Que lindo! – Ele olha triste e relembra
.
- Esse foi o presente do Renato quando completamos dois meses e que virou o símbolo da nossa união. Depois de conto toda a história.
- Pois então levante e vamos me contar tudo agora. E você está me devendo uma certa explicação. Lembra?


Depois de tanta insistência Isadora acaba convencendo o Miguel a sair. Eles vão até a praia, entre mergulhos e caminhadas ele conta toda a história do anel a Isadora. Ela por sua vez fica admirada com o amor do Renato, não resiste e volta a tocar no assunto:

- O que não entendo é por que você foge dele.
- Eu já disse que foi por causa do fim do namoro. Que eu terminei com ele pra ficar com você.
- Mas eu e você já não temos mais nada. Você está solteiro, por que não vai conversar com ele?
- Eu bem que queria. –
Miguel fala com um tom melancólico - Mas tenho medo da reação dele.

- Por que?
- Ele ficou com muita raiva quando eu acabei.
- Não estou entendendo. Seja mais claro.


Eles param de caminhar e sentam na areia. Miguel olha para o horizonte e sua cabeça pesa ao relembrar da cena.

“- Eu não estou acreditando nisso. – diz Renato titubeante.
- Pois é isso mesmo que você ouviu. Se quiser eu repito pra ficar mais claro. –
Miguel em voz alta
– EU ESTOU APAIXADO POR UMA MENINA E VOU FICAR COM ELA.
- Porra Miguel, depois de tudo o que a gente viveu, de todas as dificuldades que passamos juntos cara, foram quatro meses, mas foram intenso todos os momentos, aí agora você me troca por uma garota que conheceu praticamente ontem... –
Renato com a voz embargada pelo choro
- Sabe o que se chama isso?
- Amor, desejo...
- Deixa de ser criança cara. Isso é covardia. É uma máscara que você está colocando com medo da sociedade, com medo de você mesmo.
- Você é louco. –
Miguel rir e continua
- Por que eu teria medo de mim?
- Medo de assumir o que você é, aí camufla os seus sentimentos temendo o que os outros vão falar. Com certeza é mais fácil se relacionar com uma menina, só assim não precisa escutar piadinhas dos outros. Não é? Você é fraco Miguel...”


- Realmente eu era um fraco. É isso que mais me dói hoje. – Miguel ainda olhando para o infinito e com as lágrimas a rolar pelo seu rosto. Isadora permanece calada e com os olhos marejados, pois percebe a tristeza e o arrependimento do seu amigo.

“- Eu sou fraco? Quer dizer que não posso mais namorar meninas? – Miguel fala ironicamente.
- Claro que pode. A questão não é essa e você sabe muito bem. Você está abrindo mão de um sentimento verdadeiro, do meu amor...
- Como você é convencido Renato.
- Não sou convencido não cara, sou realista. Dá pra ver nos seus olhos que você não ama essa garota, que está fazendo tudo isso por puro comodismo...
– Miguel tenta interromper mais uma vez, e Renato continua – Você ainda é criança demais pra levar algo tão a sério. Mas eu não vou ser tão idiota e ficar tentando te convencer a mudar de idéia. Cada um sabe o que faz Miguel. É isso que você quer? Já tomou sua decisão? – Um longo silêncio que é quebrado por Miguel
.
- É isso que eu quero sim.
- Ok! Já que você está decidido... Só que agora eu tenho minhas dúvidas se você gostou de mim de verdade ou estava comigo por vaidade.

- Eu acho que estava confuso com meus sentimentos. Não sabia ao certo o que queria. Mas agora tomei a decisão. Essa vida aí não é pra mim.
- ‘Essa vida aí’? Que frase mais preconceituosa. Não estou te reconhecendo. Esse não é o Miguel por quem me apaixonei, me dediquei. Cuidado com as palavras, cara... Bom! Só quero que você seja muito feliz. Mas estou muito chateado com você, pelo que acabou de dizer e pela forma como esta acabando. Eu não te dei motivos nenhum pra você fazer isso comigo ...
- Como você é dramático Renato.
- Não sou dramático não Miguel. Apenas estou expondo o meu ponto de vista em relação a esse fim. Com toda sinceridade, você foi o único cara que mexeu comigo, me fez ficar bobo. Você foi o meu primeiro amor, mas infelizmente vou fazer tudo pra te esquecer. Não quero ficar pensando, sofrendo, chorando por uma pessoa hipócrita, que da noite pro dia muda o comportamento, muda as atitudes e até mesmo os pensamentos.”


- Ai Isa! Como fui burro. Eu fui muito orgulhoso. Por dentro meu coração gritava que o amava, mas tive que ser forte estava muito envolvido com você. Queria ter outra experiência, namorar uma menina, mas queria ele também. Quando eu disse que estava confuso com meus sentimentos era verdade. Queria os dois, mas não queria trair ninguém. De um lado estava uma nova experiência e do outro estava aquele por quem o meu coração batia mais forte. Assim é difícil para uma pessoa imatura.
- E por que você não ficou com o Renato? O seu coração dizia que ele era a pessoa certa.
- Justamente. Muitas vezes a gente acha que o coração está errado e acaba agindo pela razão. Ele estava certíssimo quando disse que eu ainda era criança demais. Naquele momento o novo me atraía. Era uma experiência nova.
- Mas era bem mais simples você dizer a verdade pra ele. Que queria ter uma experiência com mulheres.
- Ele não ia entender da mesma forma. O problema é que acabei dizendo coisas horríveis, que magoou ele. Não soube como acabar. Isso me dói... E aí ele finalizou aos prantos olhando dentro dos meus olhos.


“ – Já que eu vou te esquecer, faça o mesmo. Esqueça que existiu um Renato na sua vida. Quando passar por mim na rua finja que não me conhece. E se vier falar vai passar vergonha, por que eu vou fingir que nunca o vi. Vai com Deus, segue teu caminho cara. Boa sorte na nova vida.”

- Foi horrível aquela despedida. Meu orgulho não me deixou voltar atrás. Tive que fazer o maior esforço pra esquecê-lo. Passei algumas noites em claro. E logo em seguida a gente começou a namorar, e indiretamente, você me ajudou.
- E eu nunca percebi nada de diferente em você Miguel. Só depois que entramos na universidade.
- Pois é. Sou uma pessoa muito reservada, não gosto de ficar me fazendo de coitadinho e falando dos meus sentimentos por aí. A escolha foi minha, então tive que arcar com as consequências. E quando entrei na universidade e vi o Renato, tudo voltou à tona. Todo o meu sentimento que estava adormecido emergiu. –
Miguel fazia agora um olhar de arrependido
– Percebi o quanto eu ainda o amava.
- E quando ele te viu?
– Perguntou Isadora.

- Primeiro fez uma cara de surpreso, jamais pensava que ia voltar a me ver, depois me olhou fundo nos olhos, deu um leve sorriso e de repente, como se tivesse lembrado da promessa que tinha feito, fingiu que não me conhecia. Foi terrível encarar aquilo. Tentei esquecê-lo mais foi inútil, é impossível esquecer quando se vê todo dia. Pensei até em desistir da universidade. Mas sou um homem que não desisto tão fácil. É pra encarar? Vamos encarar. E assim fui levando até agora. Não tive a coragem de chegar pra conversar com ele. Fiquei com medo que ele fizesse um escândalo, ia ser bem pior.
- Nossa Miguel, você realmente foi corajoso em levar isso adiante, ver o seu amor todo dia e não poder fazer nada. Mas teria sido muito mais se tivesse ido falar com ele. Mas acho que já sofreu demais, já perdeu tempo demais, pagou todos os pecados e os erros que cometeu com o Renato. Está na hora das pazes agora. Não acha?
- Não vai ser tão fácil assim –
Disse Miguel desiludido.
- Quem disse? Eu vou ajudar você nessa. Confie em mim Miguel.


Isadora encheu o coração do Miguel de esperanças, e com essa novidade conseguiu arrancar um sorriso do seu amigo. Voltaram para casa um pouco tarde demais. Já era noite e Isadora não parava de pensar em tudo o que ouviu. Nem lembrava mais que tinha sido namorada dele. Não conseguiu ficar em casa e saiu para dá uma volta, envolvida nos seus pensamentos e na jura que fizera ao Miguel, começava a bolar um plano. Era só no que ela pensava.


Leia os outros capítulos:
Capítulo 1
Capítulo 2
Capítulo 3
Capítulo 4
Capítulo 5