(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Alguém

Quero alguém que me ame,
Alguém que me espere,
Alguém que me compreenda mesmo nos momentos de loucura;

Quero alguém que me ajude,
Que me guie,
Que seja meu apoio,
Minha esperança,
Meu tudo.

Quero alguém que não me traia,
Que seja fiel,
Que sonhe comigo,
Que só pense em mim,
No meu rosto,
Na minha delicadeza,
No meu espírito,
E não no meu corpo,
Nem em meus bens.

Quero alguém que me espere até o final,
Alguém que sofra junto comigo,
Que ria junto a mim,
Que enxugue minhas lágrimas,
Que me abrigue quando necessário,
Que fique feliz com minhas alegrias e que me dê forças depois de um fracasso.

Quero alguém que volte pra conversar comigo depois das brigas,
Depois do desencontro.

Quero alguém que caminhe junto a mim,
Que seja companheiro,
Que respeite minhas fantasias,
minhas ilusões;

Quero alguém que me ame;
Não gosto apenas do amor.
Quero alguém que sinta
o mesmo sentimento por mim..

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Capítulo 2 - A Pressão

"A descoberta de Miguel"

Miguel mudou muito depois que começou a namorar Isadora. Ficou desinibido, mais esperto. Ele estava se sentindo muito bem, mais disposto para enfrentar a vida. Já fazia um ano e meio que estavam juntos, passaram no vestibular e tiveram que desgrudar um pouco, pois os cursos eram diferentes. Miguel fazia administração e Isadora letras. Eles começavam a pensar em casamento, estavam planejando noivar quando completassem dois anos de namoro, que seria em Setembro do mesmo ano.
A universidade abriu ainda mais a cabeça de Miguel, ele conheceu novas pessoas e já não dava mais a atenção que a sua namorada queria. Um sentimento, que até então, estava adormecido, acordou com bastante intensidade e Miguel já não tinha mais como fugir. Isadora percebeu a indiferença do amado e começou a ter crises de ciúmes e com isso vieram as brigas, os desentendimentos e as diferenças, que não eram notáveis antes, ficaram evidentes. Isadora não via a hora de chegar as férias, só assim teria o seu amor só pra ela.
As férias chegam, e o que Isadora tanto queria, não acontece. Os amigos da universidade não param de ligar para Miguel, chamando-o para sair, bater papo. Ele recusa alguns convites. Tenta ser como era antes com a namorada, mas não consegue, e um certo dia Isadora põe Miguel contra a parede.

- Será que você não percebe que estou carente, que preciso do meu namorado de volta?
- E eu estou aqui, sempre estive ao seu lado, Isa. Como sempre foi.
– Miguel fala tentando dissimular, pois sabe que não está tudo como era antes.
- Para de fingir. Você sabe que não está tudo normal. O que está acontecendo com você? Eu sinto a sua indiferença, e sei que tem algo mais forte, que te impede de ser como antes. O que é? Se abra comigo meu amor, confie em mim.
- Você está fazendo uma tempestade num copo d’água.
– Miguel fala nervoso e alterando o tom da sua voz -
Está tudo normal, eu estou muito bem.
- Miguel, você não me engana. Está acontecendo alguma coisa sim, e eu quero saber. Eu fiz alguma coisa errada?
- Não.
- É a sua mãe?
– Ela insiste.
- Não.
- Tem outra mulher no meio?
- PARA de me encher!
– Ele grita nervoso
.
- É isso! Eu sabia que tinha haver com outra mulher.
– Isadora fala quase chorando.
- Não tem mulher nenhuma. Para de ser paranóica. Agora me deixa só, preciso de um tempo.
- Eu vou sim. Mas fique sabendo que essa história não terminou aqui. Eu vou descobrir o que esta acontecendo.
– Isadora fala isso com os olhos marejados e sai.

Miguel começa a chorar, ele sabe que existe algo mais forte, mas tem medo, não quer que isso venha à tona, pois sabe que vai sofrer. Todos os dias ele é acometido por esse sentimento. Pensou em desistir da universidade, porque foi lá que tudo voltou a emergir. Mas ele não era homem de abandonar nada pela metade.
Isadora sai da casa do Miguel chorando muito. Ela tinha certeza que ele estava gostando de outra, era por isso que não tinha mais a atenção de antes.

“– Será que tem outra mulher no meio? Quem será? Mas se ele está me traindo é porque nunca me amou, nunca gostou de mim. Por que esta fazendo isso comigo?” – Cada vez que ela pensava mais ela chorava.

Isadora adormece depois de tanto chorar e com uma promessa: descobrir tudo o que estava acontecendo com Miguel.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Capítulo 1 - As Lembranças

"A descoberta de Miguel"

Era manhã de um domingo chuvoso em uma cidade do Nordeste, Miguel, pela janela do seu antigo quarto vê os pingos da chuva cair no chão, e ao mesmo tempo relembra tudo o que viveu anos atrás, todas as decisões que teve que tomar, e era naquele lugar, onde estava, que ele tinha feito tudo isso. Qual seria o seu destino se tivesse ficado calado e escondido seus sentimentos? O que seria da vida dele? Nesse exato momento do pensamento é interrompido pelos gritos de sua mãe:

- Miguel! Miguel! Telefone pra você.
- Eu atendo aqui mãe.

Ele pega o telefone, com o coração acelerado, pois espera uma ligação muito importante.

- Alô!
- Alô! Miguel? Sou eu.
– antes que ele perguntasse quem era, ela já foi dizendo – É bem capaz de você não saber quem está falando, depois de tanto tempo. Como é que você chega de viagem e nem liga pra mim? Seu cachorro - Ela cai na gargalhada.
- Isadora?


Foi nessa gargalhada que Miguel reconheceu sua primeira namorada e melhor amiga. A conversa seguiu animada e saudosista. Mas tinham tanto assunto pra contar um por outro que marcaram um encontro para o final da tarde. Isadora sabia tudo sobre o Miguel, era sua confidente, sua cúmplice, mas depois que ele viajou eles perderam contato.

Miguel e Isadora tiveram um namoro de, quase, dois anos, e logo em seguida se tornaram melhores amigos. A Isadora se apaixonou pelo Miguel ainda na escola, eles faziam segundo ano colegial, eram novos na escola. Ele muito tímido, nunca havia percebido o interesse e as olhadas dela, mas sentiu-se atraído. Até que um dia, Isadora toma a iniciativa e vai conversar com o Miguel na saída da escola. Quando ele percebe aquela garota se aproximando, linda, cabelos pretos um pouco abaixo dos ombros, olhos cor de mel que entravam em contraste com a cor dos cabelos, magra, com 1,70 de altura, lábios bem delineados, seu coração acelerava a cada passo dela.

- Oi! Qual o seu nome? – Pergunta Isadora.
- Oi! Miguel e o seu? – Apertando as próprias mãos quase as esmagando de tanto nervosismo
.
- Isadora. Você também é novo aqui?
- Sim.
- Quantos anos você tem?
– Isadora ainda tentando puxar papo
.
- Tenho 15, mas daqui a dois meses farei 16. E você?
- Eu também, mas só farei 16 daqui a três meses.
– Isadora rir, e nessa hora a sua mãe para o carro em frente o colégio e a chama. –
Tenho que ir, minha mãe chegou. Até amanhã Miguel.
- Até amanhã
.


Miguel fica super feliz, a garota que ele achava a mais linda da escola, puxando papo com ele. Isso era demais. Chegou em casa e foi direto para o seu quarto, mas não parava de pensar:

“- Por que a garota mais linda vai dar bola pra mim? Existem tantos meninos bonitos na escola. Por que eu?”

A sua timidez fazia com que ele se sentisse inferior aos outros. Mas a verdade era que Miguel era lindo, cabelos lisos, pretos e brilhosos. Tinha 1,70 de altura, olhos castanhos, a pele era tão branca e lisa que parecia com a de um bebê. Não era gordo, nem magro. Tinha um tipo atlético, apesar de estar ainda em desenvolvimento. Sua boca era tão carnuda e vermelha, que era impossível conversar com ele sem desejar dar um beijo.

Os dias foram passando, Miguel e Isadora foram se tornando cada vez mais próximos, que depois de um mês de conversa começaram a namorar. Não se desgrudavam por nada desse mundo, até na mesma sala de aula conseguiram ficar. Não existia um sem o outro, eram como carne e unha. Todos da escola comentavam. Miguel a princípio morava um pouco longe da Isadora, mas conseguiu convencer seus pais a se mudarem pra mais perto de sua namorada. Aí foi que eles não se largaram mais. Sua mãe já não agüentava mais a ausência do filho.

- Meu filho, esse negócio de ficar junto da namorada toda hora, não dá certo não. Vocês vão acabar enjoando um da cara do outro. – Dona Silvia tentando dissimular seu ciúme.
- Que nada mãe. Isso não existe quando duas pessoas se gostam.
- Claro que existe. E além do mais vocês já têm seis meses de namoro, e não precisa ficar toda hora juntos.
- Mãezinha, mãezinha! Acho que a senhora está com ciúmes do seu filho aqui não é?!
– Miguel fala rindo. Pois sabe que sua mãe jamais assumirá que é realmente isso.
- Que ciúme menino. A verdade é que você tem que dar mais atenção aos pais.
- E isso não é ciúme? Tá bom mãe, mas deixa eu ir que a Isadora está me esperando. A gente vai sair com a mãe dela.
- Parece que você não escutou nada do que eu disse Miguel. Miguel?
– Mas ela só ouve a batida da porta. E agora fala sozinha - Que menino teimoso.


Dona Sílvia era muito ciumenta com o filho, pois o Miguel era filho único. Mas com o passar do tempo ela foi se acostumando com a idéia. Ela era casada com seu Marcos, que diferente dela, dava liberdade demais ao filho, e fazia todos os gostos dele. Talvez para se redimir da ausência por causa do trabalho.


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

A Lista

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais...
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

Oswaldo Montenegro

-------------------------------------------------------

É isso mesmo que você está pensando! Estou declarando o meu amor aos meus AMIGOS! Estou mostrando a eles o quanto eles são importantes pra mim. E todas esses textos relacionados a amizades é para reflexão.
Aprendi que amigos são mais importantes do que qualquer paixão. É.. paixão sim! Porque amor que é amor aceita você e cia. e não o separa de nada. E amigo que é amigo é pra toda hora.

Não! Não estou desiludido com paixões. Apenas aprendi a valorizar quem me valoriza e a amar que me ama do jeito que sou e como sou. Sem querer me mudar, sem querer escolher minhas amizades...

Vou ficando por aqui e dizendo mais uma vez que amo todos os meus amigos, mesmo aqueles que estão um pouco longe... hehehehe



domingo, 1 de fevereiro de 2009

Um Dia Claro

O dia está claro,
Ontem mal se foi,
O sol vem radiante.
Milagres do tempo.
No céu sem nuvens,
Vozes cantam luzes,
E dissipam a noite.
Revelam a bruteza
guardada nas almas.
Nada me apavora,
Nem me impressiona.
Meu passo continua leve,
e meus olhos fundos,
saudosos dos sonos
não cansam nunca
observam a natureza,
e sem procurar entender,
simplesmente entendem.
No alto do coração,
As montanhas silenciam
Avalanches e deslizamentos,
A verdade pelo caminho,
Sustenta e fica imóvel.
Tudo é essência,
e diante o dia claro
toda alma se ilumina.


Carol Montenegro
http://carolmontenegro.wordpress.com/