(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

A Cabana

Dias atrás fiz um post falando do meu atual kit cabeceira. Ontem terminei o livro que estava lendo: "A Cabana", e fiquei muito afim de escrever sobre ele, só não o fiz ontem porque estava muito cansado... Mas hoje vou tentar falar um pouquinho. Não vou contar a história, pois são coisas indescritíveis, você não acreditará em nenhuma palavra minha, ninguém acredita. Só lendo para entender.
O livro do William Young é de uma beleza divina, totalmente sublime... O tempo todo eu me sentia no lugar do personagem principal, é como se Deus estivesse ali conversando comigo... coisa que eu não duvido.
Depois que terminei a leitura do livro, o meu amor, a minha admiração pelo Criador cresceu tanto, que me sinto exatamente como ele quer que os seres humanos se sintam em relação a ele. Mais do que íntimo.... eu vivo em Deus e Deus vive em mim, não tenho segredos para PAPAI, é a forma carinhosa como a mulher do protagonista se refere à Deus. E ele acaba ficando tão íntimo de Papai que começa a chamá-lo assim também.
Sempre tive uma relação maravilhosa com Papai, coisas do tipo de ficar sem acreditar no que aconteceu... E agora poder chamá-lo assim cria um laço muito maior, e passo a viver a vida todos os dias. Acreditando sempre no melhor. Acreditando no poder da Criação e do Criador.
Não precisei entrar em nenhuma seita religiosa, não precisei ficar fanático pela religião, e muito menos virar padre, ou pastor, para amar Papai. Sou do jeito que sou, amo Papai tanto quanto Ele me ama, e o mais importante de tudo, amo do meu jeito, converso com ele do meu jeito, sem hora marcada ou dia certo. Papai está em todos os lugares a minha volta, Ele está dentro de mim... e jamais duvidei do seu amor por mim, sendo pobre ou rico, gordo ou magro, branco ou negro. E assim como eu, você pode ter essa descoberta também, e passar a ver a Criação com outros olhos, os olhos da divindade.
Era isso que eu queria recomendar a você. Leia o livro e vai entender perfeitamente como estou me sentindo. E se mesmo assim não se sentir como eu, tenha calma, pois tudo tem a sua hora e seu momento... confie e acredite, falo por experiência própria... e tenho dito.



domingo, 27 de junho de 2010

Morrer: sim ou não.

Hoje teve uma das reunião que eu mais gosto... é quando consigo absorver a essência dos assuntos. Quando eu crio uma espécie de conflito comigo mesmo quando estou sozinho.
No caminho de volta pra casa, vim pensando o que seria melhor: MORRER OU DEIXAR O OUTRO MORRER?

Bom, vou tentar mostrar os vários pontos de vista que eu tive, e você vai me dizer se é ou não pra entrar em conflito. rsrsrs
Eu pensava que morrer primeiro do que as pessoas que eu gosto, era a melhor solução. Tive dois pontos de vista e fiquei com mais dúvida ainda. Se eu morrer primeiro as pessoas irão sofrer a minha perda, mas logo se recuperarão. Ao passo que eu estou me reduzindo à nada, dizendo que não tenho tanta importância para ninguém. [Será que posso chamar isso de carência?] Ou posso dizer que eles são mais fortes do que eu para aguentar um dor dessa. Mas enfim, com esse ponto de vista estou dizendo que sou totalmente egoísta, só que ao mesmo tempo estou agindo com o mais puro amor. Estou dando a minha vida em troca da vida de outra pessoa. Muitos preferem viver, dizem que tem medo da morte. Eu não tenho medo de morrer, nunca tive. Então daria a minha vida em troca, por amor. Amor a mim ou ao outro?
Pois posso deduzir que estou me privando de uma dor, e deixando as pessoas que eu amo, e que me amam, sentirem essa terrível dor. Que é a dor da perda. Como posso ser tão cruel? Tão egoísta?
Agora, se eles morressem primeiro, eu acho que não conseguiria suportar tamanha dor. Iria me afundar na "grande tristeza". Perder o chão. Posso está me colocando para baixo. Será que sou tão fraco? Fraco e egoísta? Tenho certeza que não. Por isso se escolho deixar as pessoas morrerem primeiro. Vou aguentar toda e qualquer dor, mas sabendo que a pessoa está em um lugar muito maravilhoso, melhor do que esse inferno que está se tornado a Terra.
Talvez seja por isso que não tenho medo de morrer, porque sei que depois da morte é que está a verdadeira vida. É ali a paz, a harmonia... Nesse caso seria melhor deixar o outro morrer?

Confesso que ainda não consigo escolher a melhor solução. Dar a minha vida eterna em troca da vida terrena de uma pessoa? ou Querer partir pra vida eterna, deixando o outro com a vida terrena?
Cada uma das soluções está repleta de amor, com um pouco de egoísmo. Agora depende de onde e como está olhando para a VIDA/MORTE...


quinta-feira, 24 de junho de 2010

Kit Cabeceira


Finalmente me encontro de férias. Não é bem umas férias, mas 15 dias já dá pra descansar...
Estou em meio ao tumulto de festas juninas. Bombas estourando no céu nordestino, fumaça por toda a parte. Em outros tempos eu não deixava escapar um dia sequer, entre cachaças, histórias, viagens [escondidas], e muito forró, ia curtindo cada dia de férias. Mas o tempo passou e tudo mudou, assim como as coisas efêmeras da vida. Alguns dizem que tudo mudou rápido demais, eu também acredito nisso, dependendo do ponto de vista. Se for pensar na minha idade realmente, era pra está curtindo muito ainda, só que idade não quer dizer nada, o que conta é o que minha alma sente, como me sinto por dentro. [jovens idosos] rsrsrs
Confesso que a idade da minha alma não é igual a idade do meu corpo. Desde que nasci tenho mostrado que vim na época errada. Quando pequeno sempre estava infiltrado nas rodas dos mais velhos, as vezes é que me juntava com as crianças da minha idade, sempre tive amigos mais velhos do que eu, nos relacionamentos afetivos a maioria dos casos eu era o mais novo, sempre gostei de músicas "antigas", de histórias do passado...
Na minha adolescência curti tudo o que tinha pra curtir um garoto nessa fase, mas foi um período curto, e quando passei dos dezoito anos já me sentia um adulto, sentia a necessidade de me comportar como um adulto, não aqueles adultos chatos, sérios, de cara fechada... me comportava como um adulto cheio de graça, fazendo piada das coisas. Tudo isso também tem haver com o fato de eu ter perdido o meu pai na fase de transição da criança para o adolescente.
Então hoje com quase vinte e três anos prefiro lugares calmos, sem multidões. Um bom livro, uma boa música, conversa na casa de amigos, filmes é tudo o que rege minha vida atualmente. Queria que as pessoas entendessem isso. Nessa época de festas lugar é que não falta para quem ainda gosta.
Talvez seja por isso que ainda estou solteiro, não encontrei uma companhia, alguém que goste das mesmas coisas que eu. Mas estou bem mesmo assim, continuo com a minha alegria. Esperando a resposta ao que chamo de amor... quando tiver que ser será.

Nesse momento das "férias" o meu Kit Cabeceira é esse mostrado na foto acima. Esse livro "A Cabana" é simplesmente encantador, prende o leitor, é o tipo de livro que eu gosto, daqueles que me prende, que eu não consigo parar de ler... depois que eu li a saga de "Crepúsculo" não encontrei nenhum livro que me prendesse tanto quanto os livros da saga. Mesmo "A Cabana" sendo um livro fascinante, ainda não chega aos pés da saga. Mas vamos salientar que agora eu tenho muito mais coisas para dividir a atenção. Quando li a saga estava sem computador, e a programação da tv era uma droga.
Bom, o mp4 acompanhando o livro faz parte, criei um hábito de ler escutando música, mas não é qualquer música. Leio escutando Debussy e Chopin, músicas clássicas. Ou qualquer música tocada só no piano.

Quem disse que pra me divertir é preciso passar a noite acordado em pé, bebendo até perder os sentidos, ficar surdo com tanto barulho no ouvido, e ficar se espremendo no meio de multidões??
Diversão é tudo aquilo que me dá prazer... E eu me divirto muito mais com meu Kit Cabeceira. =D

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Devaneios II

O que fazer quando se está, literalmente, sem rumo? No meu caso vim parar naquele cantinho abençoado por Deus, que há pouco escolhi pra pensar na vida, agradecer por mais uma semana, por mais um dia. Sempre venho nos finais de tarde das sextas feiras. Só que hoje, não sei porque, acabei chegando aqui bem mais cedo...
Resolvi me dar folga do trabalho. Na verdade queria ir para um lugar onde não existisse seres humanos, queria está só eu e a mãe natureza... Tenho medo de gente!!!
Mas como ainda não encontrei esse lugar, vou curtindo e aproveitando nesse aqui mesmo.
Nesse momento me encontro em um bar que tem ao lado do meu canto mágico. Pedi uma cerveja e estou olhando para o mar, enquanto degusto sozinho a cerva. Estaria perfeito se tivesse só o som das ondas, mas infelizmente tem uma música anormal aqui ao lado, e atrás de mim o som da tv... uma verdadeira poluição sonora. Que falta o meu mp4 faz, por quê esqueci ele em casa?!

[olhando pro mar]

Como sinto falta de uma companhia, mas ao mesmo tempo gosto desses momentos onde converso comigo e com Deus. Onde olho para a imensidão do mar e percebo como é divino tudo isso, e os seres humanos não estão nem aí, passam e nem percebem a beleza disso tudo.
Olhando para o mar, agora entendo o que significa o encontro das águas, é uma coisa tão sublime... elas vem vindo, cada uma na sua, até o momento em que se encontram e continuam o caminho até a beira do mar, juntas, aliás, ficam tão misturadas que é impossível separá-las. Então quando se fala do encontro das águas se relacionando ao amor, pode acreditar que é a coisa mais linda do mundo....
Acaba de passar um velho caminhando na beira do mar, sozinho, cabelos brancos, barrigudo... e eu me pergunto, será que vou envelhecer assim? Sozinho, sempre esperando algo que nunca chega?! Não sei se ele está se sentindo assim, mas é o que parece.
Agora está passando um casal, super apaixonado, juntinhos, caminhando como se fossem uma só pessoa. Será isso algum sinal?... mas eles acabam de dar meia volta antes mesmo de chegarem bem à minha frente. O que isso quer dizer? Seja lá o que for, ainda tenho esperança...

Acho que o bar está fechando, tenho que ir... mas para onde? Ainda não sei, mas vou confiar no destino.

sábado, 5 de junho de 2010

Douglas e o Encontro com a Morte II

Eu estava na casa da minha melhor amiga, Joana, uma mulher sensacional e super inteligente. Toda vez que a gente se encontra pra conversar eu aprendo alguma coisa com ela. Só que nesta noite não ficamos até tarde conversando, ela estava com muito sono, e eu fiquei sozinho, sem o mínimo de sono, sem nada para fazer na casa dela. Naquela noite de sábado tentei assistir televisão e não consegui, então resolvi continuar lendo "Crime e Castigo" de Dostoievski...
Não mais que de repente, comecei a escutar uma respiração ofegante, como se fosse um animal com a respiração cansada. Hora ele gemia, hora grunhia, hora batia as asas freneticamente e eu não conseguia identificar o que era que estava ali bem próximo de mim. Comecei a ficar com muito medo e então não quis ver nada, fiquei apenas ouvindo. Mas a minha curiosidade aumentava a cada minuto, era algo me chamando eu tinha certeza, por isso o medo aumentava.
Certa hora a coisa parou e tudo ficou em silêncio, eu mal respirava para não fazer qualquer ruído. Quando tudo parecia calmo, eu resolvi ir ver o que era aquilo que me atormentava aquela noite. Quando fui chegando perto, já não tinha mais como voltar para onde eu estava, a cada passo tudo que ficava pra trás ficava completamente escuro. Nesse momento aquela coisa começou a se debater outra vez, e fazer muito barulho. Como eu não estava vendo, só escutando, pude perceber que era uma espécie de animal com asas... Até que tudo fica muito claro, me deixando cego outra vez, agora com o excesso de luz.
É uma luz incandescente. Dura alguns segundos e depois tudo volta ao normal... procuro aquela coisa e só o que encontro é o silêncio da noite. Procuro rastros, e quando chego perto do sofá encontro algo caído no chão... Uma carta!
Minha curiosidade é maior do que tudo e começo abrir aquela carta, meu coração bate num ritmo descompassado, o sangue ferve pelo meu corpo, ardendo pelas minhas veias. Não consegui entender nada do que estava escrito. A carta estava em códigos, e eu queria decifrar a todo custo. Naquela altura percebi que a minha noite de sono não iria rolar mais enquanto estivesse decifrando a tal carta. Ela era muito complicada, nunca tinha visto aqueles códigos, fiquei pensando quem poderia ter escrito aquilo? e por que me escolher pra entregar a mensagem? Poderia ser de um vampiro, de um extra terrestre, da tão temida morte, ou de um sei lá o que.
Mas isso não me assustava... quer dizer, tinha medo sim, mas ao mesmo tempo tinha curiosidade. Eu sempre fico pedindo coisas meio loucas, do tipo: pra que um vampiro me morda, que um ET entre em contato comigo. E eu acho que o meu pedido está pra acontecer. Vivo dizendo que sou vampiro, que sou ET... porque agora eu vou ter medo?! Vou deixar de devanieos e vou voltar para o código, preciso decifrar.

"A vida é passageira, a morte é quem te leva pro infinito...
Você me atrai muito, é leve, mas ainda não está no momento certo.
Tem muita coisa pra resolver... Mantenha a calma, respire fundo e entre de cabeça.
Felicidade é pra quem tem coragem, pra quem arrisca.
Estarei sempre por perto, te observando..."

Era esse o conteúdo da carta. Cheguei a conclusão de que foi a morte de novo, e dessa vez ela não queria, ou não podia aparecer. Mas bem que podia ter assinado. Mas o fato é que o conteúdo me deixou chocado quando dizia que ainda vou sofrer muito, mas a felicidade só alcança quem tem coragem, quem acredita e arrisca... que tipo de sofrimento será?!
Fiquei com um pouco de medo das últimas palavras "Estarei sempre por perto, te observando..." O que isso quer dizer? Não gosto nem um pouco da sensação de estar sendo vigiado, odeio em saber que tem pessoas me olhando. Mas vou encarar, ter coragem e entrar de cabeça, afinal de contas, não é isso que pede na carta?! Adoro aventuras... Vou ficar esperando outro contato, outra notícia, algum sinal de fumaça.
Da outra vez a morte apareceu com várias rostos diferentes, mas porque dessa vez ela nem apareceu? Será que foi ela mesmo? As dúvidas ainda pairam no ar, e agora é esperar outro contato.
Difícil vai ser eu voltar a me concentrar em Dostoievski.

Encontro com a Morte

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Mandando notícias II

O que fazer com esse tempo? Já estamos no meio do ano de 2010, e parece que foi ontem que eu estava fazendo planos para o novo ano que estava chegando... E agora já estamos na metade do ano e nada do que eu planejei, ainda não aconteceu. Mas aconteceram coisas que eu jamais esperava, e que estou curtindo muito essa nova fase.
Na verdade não tenho nada de extra pra contar nessa postagem. Só coisas que estou cansado de dizer, e vocês cansados de ler. Mas às vezes é preciso escrever as coisas mais de uma vez, talvez a explicação apareça não mais que de repente.

Ah! Minha mãezinha chegou domingo passado de viagem. Já matei muito a saudade, e percebi como ela está mais feliz. Como eu sempre disse, é necessário fazer uma viagem de vez em quando. Uma viagem renova, relaxa, revigora a alma.. Mas tem que ser uma viagem sem aquelas pessoas que a gente convive diariamente. Tem que ser novos ares, novos rostos... uma viagem para tirar todo o estresse, e esvaziar todo o saco das preocupações e aborrecimentos. Já fiz uma viagem assim há pouco tempo. Fui pra resolver questões do coração, não só resolvi como me renovei. Mas acho que já estou prestes a fazer outra viagem dessa. [risos]

Graças a Deus hoje é feriado, veio a calhar... estava precisando de uma folguinha pra poder respirar. Mas eu queria ter resolvido algumas coisas hoje, só que não deu. A preguiça tomou conta do meu corpo. E amanhã vou ter que dar mais aulas, ainda bem que já é sexta!!! =D
Bom, por hoje é só!!

Beijos no coração de todos os leitores.