(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Je t'aimais, je t'aime, je t'aimerai


Com essa música veio o pedido de namoro.
Claro que fiquei sem palavras, não sabia o que dizer... A resposta ainda não foi dada, mas já subentende-se qual será.
Não estou no meu estado normal. Vejo cores quando olho para o céu em dias nublados. Meu pensamento só consegue pensar você, minha boca já sente o gosto da tua boca. Meu corpo treme quando te vejo.

Acredito que não há outra resposta que não seja: SIM!!!!!

Eu te amei, Eu te amo e Eu te amarei

Minha infância despida sobre pedras cristalinas
O vento desarrumando teus cabelos
Como a primavera em minha jornada
Um diamante caído do cofre
Apenas a luz poderia
Desfazer nossos vestígios secretos
Onde meus dedos prendem seus pulsos
Eu te amei, eu te amo e eu te amarei

O que quer que faças
O amor está por toda a parte onde olhas
Nos mínimos lugares do espaço
No menor sonho onde você hesita
O amor é como a chuva
Despido sobre pedras cristalinas

O céu julga conhecê-lo
Ele é seguro e verdadeiramente belo
E jamais se aproxima
O vi preso em suas redes

O mundo possui tantos pesares
Tantas coisas que se promete
E apenas uma para qual eu fui feito
Eu te amei, eu te amo e eu te amarei
O que quer que faças
O amor está por toda a parte onde olhas
Nos mínimos lugares do espaço
No menor sonho onde você hesita
O amor é como a chuva
Despido sobre pedras cristalinas

Voando do mesmo cais
Nos olhos o mesmo reflexo
Nesta vida e na próxima
Serás o meu único projeto

Colocarei teus retratos
Em todos os tetos de todos os palácios
Em todas as paredes que eu encontrar
E logo abaixo, escreverei

Que só a luz poderia...

E os meus dedos sobre os teus pulsos
Eu te amei, eu te amo e eu te amarei.

terça-feira, 12 de julho de 2011

La vie en rose

Tudo começou com essa música.
Esse pássaro francês começou a cantar num domingo chuvoso... E foi então que tudo mudou, que meus olhos começaram a brilhar, meu coração começou a acelerar.
E esse pássaro francês, chamado Edith Piaf, trouxe o meu futuro amor.

La vie en rose - Edith Paif

Des yeux qui font baiser les miens,
Un rire qui se perd sur sa bouche,
Voilà le portrait sans retouche
De l'homme auquel j'appartiens

[Refrain]
Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.
Il me dit des mots d'amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose.
Il est entré dans mon coeur
Une part de bonheur
Dont je connais la cause.
C'est lui pour moi,
Moi pour lui dans la vie,
Il me l'a dit, l'a juré
Pour la vie.
Et dès que je l'aperçois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat

Des nuits d'amour à plus finir
Un grand bonheur qui prend sa place
Des ennuis des chagrins s'effacent
Heureux, heureux à en mourir.