(Confissões de uma Águia misteriosa)

Dor? Sofrimento? Sim, sinto e tenho, mas nada é fácil nesse mundo. Enfim, se você se conforma com a vida que tem, é porque tem medo de tentar, e eu não tenho e lutarei até o fim.

Sobre a Águia

Minha foto
Eu não sou nada. Não posso querer ser nada. Mas tenho em mim todos os sonhos do mundo... Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador: o poeta pode contar coisas não como foram, mas como deveriam ter sido, enquanto o historiador deve relatá-las não como deveriam ter sido mas como foram, sem acrescentar ou subtrair da verdade o que quer que seja.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O morte do desejo de um mundo melhor

Ainda continuo um pouco pensativo. Passei horas tentando entender certas atitudes de algumas pessoas. Isso tudo depois que vi um certo vídeo com um conteúdo absurdo, que é simplesmente de ficar mudo com a barbaridade sendo exposta. E me deixa mais triste as pessoas olharem e levar tudo na brincadeira, quando o assunto já passou do nível da seriedade.
O conteúdo do vídeo são duas crianças de aproximadamente oito à dez anos de idade, dançando vulgarmente se roçando. Parecendo dois adultos e pior, a dança parecia mais um sexo do que a dança propriamente dita. São dois minutos de vídeo, mas antes de chegar no primeiro minuto já estava passando mal com as cenas fortes que estava vendo. A cada segundo um pouco de esperança morria dentro de mim. Comecei a me perguntar qual será o futuro da humanidade. 
Não tenho nada haver com a vida de ninguém, se naquele vídeo estivessem duas pessoas adultas, isso não iria me chocar nem um pouco, porém eram apenas duas crianças com menos de dez anos, dançando feito dois adultos e se achando incríveis. Então eu, com a minha perplexidade continuei a me fazer perguntas que continuavam sem respostas. Onde estavam os pais daquelas crianças? Será que estavam vendo e achando lindo, tipo "minha filha dança demais." "meu filho é muito esperto." Porque eu jamais deixaria minha filha ou meu filho dançar de uma forma tão 'escrota', e ainda mais sendo gravado para cair numa rede social. Isso é simplesmente... [não tenho palavras para descrever]. 
Então postei no meu perfil do facebook para que as pessoas vissem o quão vulgares estão as nossas crianças, e a culpa de tudo isso são dos adultos. Crianças repetem o que veem os adultos fazendo. Logo em seguida coloquei um comentário pedindo que as pessoas que achassem o tal conteúdo ridículo não curtissem, e sim compartilhassem para que cada vez mais, mais pessoas vejam e juntos tentarmos achar uma solução para combater esse mal tão imundo que ronda as crianças de hoje. Nem que seja só observando seus filhos ou qualquer outra criança que esteja próxima. Educar,tratar e ensinar as crianças como devem ser. Sem pular etapas, deixando que elas aproveitem a infância, que é uma das mais lindas fases da vida. Porque para mim crianças são sinônimos de pureza, de inocência. Pois bem, o fato é que os comentários estavam indo bem, pessoas se chocando com o que viam, até que começaram a comentar de forma para que todos vissem e achassem graça. Ou seja, começaram a brincar com uma coisa tão séria. E isso me incomodou um pouco, não, pra falar a verdade me incomodou muito. Então fiz um apelo para que parassem de brincar com assuntos sérios, e pedi para que essas pessoas se colocassem no lugar de pais daquelas crianças. Espero que tenham entendido o meu recado. 
Rir é bom, mas rir de tudo é de se desesperar. 

P.S.: Tentei colocar o link do vídeo aqui, mas não consegui. =(

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Devaneios de Brigite

Não pensei que fosse acontecer tudo tão de repente. Ou talvez não tenha sido tão de repente assim. Há exatos  quarenta e cinco dias que Carlos me abandonou, encontrei uma pessoa para me dar o dobro do que o outro não deu.
Não vou dizer que não sofri quando Carlos resolveu sair da minha vida. Sofri sim, e muito. Porque eu cheguei a acreditar que era pra sempre, mesmo sabendo que o pra sempre sempre acaba. Mas assim como ele entrou, ele saiu. E da mesma forma que eu fiquei completamente apaixonada, achando tudo lindo em minha volta, eu consegui parar de me lamentar pela falta de consideração de Carlos e seguir em frente. 
Não esperava mais nada especial nesse restinho de ano. Já tinha me conformado em ficar sozinha por um bom tempo outra vez. Porém quando menos espera é que acontece as melhores coisas na vida. E isso sim, são presentes de um Ser Superior. É algo divino. 
Pois bem, o Diogo apareceu de uma forma inesperada. E fazendo jus a sua profissão tratou logo de curar as feridas abertas e que ainda não estavam cicatrizadas. Ele é médico e tem o jeitinho todo especial de cuidar de um coração cheio de cicatrizes e com algumas feridas abertas. Abertas porém sem dores. 
Não sei precisar o tamanho da minha felicidade, nem sei dizer quanto bem o Diogo me faz. Ele é uma pessoa que tem tudo na medida certa. Não é o último dos românticos, mas sabe me agradar no momento ideal. Não fica se lamentando por nada, e faz uma coisa que toda mulher adora. Me elogia na hora em que eu mais preciso. Parece até que ele lê os meus pensamentos.
Acredito que as coisas acontecem para nós evoluirmos. Não considero meu relacionamento com Carlos um erro, hoje posso ver com mais clareza alguns motivos que levou ao fim o nosso romance. E tenho certeza que nós não daríamos certo juntos. Somos muito diferentes, e dessa vez os opostos não se atraíram. O Diogo não é perfeito, mas a cada dia descubro que é o homem certo para mim. 
Aprendi então nunca se lamentar por nada. E o que acontecer, seja ruim ou seja bom, tudo tem um significado, um aprendizado, e só acontece na hora certa. 

Brigite
Outubro 2011.